• Governo reconhece seca severa no continente desde 30 de junho

    País

    O Governo reconheceu, hoje, a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, que consubstancia um fenómeno climático adverso, com repercussões negativas na atividade agrícola, em despacho publicado hoje em Diário da República.

  • Ministro da Agricultura diz que é preciso "domesticar" o mercado do leite
    2:13

    Economia

    O ministro da Agricultura diz que é preciso "domesticar" o mercado da produção de leite e, por isso, o governo prepara-se para disponibilizar um conjunto de verbas aos produtores portugueses, penalizados pelo fim das cotas leiteiras na Europa. É a resposta de Capoulas Santos às pretensões dos produtores que, esta manhã, protestaram à porta da AGROSEMANA, a Feira Agrícola da AGROS.

  • Governo admite que pacote de ajuda da UE para o setor leiteiro pode não ser suficiente
    1:26

    Economia

    Em conselho de ministros, Capoulas Santos afirmou que o pacote de ajuda da União Europeia para os produtores de leite é o mais generoso mas admite que pode ser insuficiente. O ministro da Agricultura explicou que os produtores do continente podem receber até 90 euros por cada vaca. O governo aprovou também uma nova legislação que acelera o licenciamento das aquiculturas com o objetivo de duplicar o número de explorações de viveiros de aquicultura até 2020.

  • Governo anuncia pacote de 11 milhões de euros para o setor do leite
    1:17

    País

    Cada produtor do continente vai receber mais 90 euros por cada cabeça de gado. A medida foi aprovada esta terça-feira em Conselho de Ministros. O pacote de incentivos aos produtores de leite foi anunciado pelo Ministro da Agricultura. Capoulas Santos explicou que, no total, o Executivo dispõe de 11 milhões de euros para o setor.

  • Governo abre candidaturas a apoios a agricultores em setembro

    País

    O ministro da Agricultura anunciou esta quarta-feira que pretende abrir até 15 de setembro as candidaturas aos apoios aos agricultores lesados pelos incêndios, que serão de 80% da despesa não coberta pelos seguros e de 50% para os agricultores sem seguros.