Daniel Oliveira e Poiares Maduro debateram Ao vivo na Redação as conclusões da leitura do acórdão do juiz Ivo Rosa. Falou-se na falta de "ética e cultura política", mas também do papel que o futuro pode reservar para José Sócrates: "nenhum" ou "já vi muitas pessoas declaradas mortas na política ressuscitarem".

Miguel Poiares Maduro considera que a importância de considerar a separação das águas ("à politica o que é da política, à justiça o que é da justiça") não devia impedir que se façam discussões éticas sobre comportamentos políticos, mas admite que, no atual quadro político, o debate acabe por não acontecer. O ex-governante do PSD foi um dos intervenientes no debate desta terça-feira.

Daniel Oliveira entende que a razão pela qual a democracia está em crise não se prende com a existência de mais ou menos casos de corrupção, mas porque vivemos um momento histórico em que "as pessoas sabem que o seu futuro vai ser pior do que o seu passado".

Para Daniel Oliveira, faz sentido discutir a cultura e a ética política mas sem perder de vista que a democracia deu um salto em Portugal, a partir do momento em que "temos um primeiro-ministro a ser julgado".

A personalização e o formalismo excessivo dos megaprocessos judiciais recolhe críticas dos dois convidados que fizeram, com a editora de Política da SIC Cristina Figueiredo, mais uma leitura da decisão instrutória da Operação Marquês.

A democracia ficou a ganhar ou a perder? A pergunta abre o debate (pode assistir na íntegra mais acima) moderado pela jornalista Paula Santos a partir da redação da SIC e do Expresso.

  • 2:19