Mauro Paulino, psicólogo clínico e forense e Carlos Oliveira, presidente executivo da Fundação José Neves debatem "Ao Vivo na Redação" o investimento que o Governo acaba de anunciar na educação de adultos.

Mais do que remediar o presente, é preciso acautelar e prevenir os problemas, é o que concluem os dois convidados da SIC e do Expresso para mais um debate "Ao Vivo na Redação".

A questão da formação de adultos que não concluíram o ensino secundário (motivada pelo apoio anunciado pelo Governo de cerca de 500 euros por aluno que abrange um universo de 100 mil pessoas) não resolve os principais problemas sobre a falta de qualificação.

Mauro Paulino fala mesmo em medidas de despesa que apenas servem para o Governo "mostrar que está a investir", que não contribuem para as necessárias mudanças estruturais e que são "quase um paliativo para lidar com os problemas da educação". O psicólogo clínico diz que é preciso ir à origem dos problemas tendo por base evidências científicas. Mauro Paulino, autor de um artigo no Expresso sobre o tema, lembra que "muitas vezes o aluno quando chega à escola já leva um conjunto de rótulos que vem da família e da comunidade e que acaba por condicionar o empenho na escola".

Carlos Oliveira acrescenta que iniciativas em que o foco está na despesa "poderão ter um impacto estatístico" mas deveria haver sobretudo uma preocupação com o "impacto efetivo da aquisição destas competências para que as pessoas tenham uma oportunidade no mercado de trabalho". O problema da falta de qualificações, uma vez mais, deve ser combatido mais cedo. Entre as medidas a defender, acrescenta, é preciso ter em conta o tratamento de que são alvo os professores.

O presidente executivo da Fundação que tem produzido trabalhos na área da formação e do desenvolvimento pessoal, entende que o país convive com uma imagem menos positiva do corpo docente o que leva a que se veja hoje "poucas pessoas a inscreverem-se num curso para lecionar por paixão ou vocação". Mauro Paulino e Carlos Oliveira defendem que há trabalho político estrutural a fazer e que terá de ter em conta diversos fatores.

O "Ao Vivo na Redação" contou com a moderação da jornalista do Expresso, Paula Santos.