Cartaz

Clint Easwood: 88 anos e em grande forma

Clint Easwood: 88 anos e em grande forma

João Lopes

João Lopes

Crítico de Cinema

Depois de uma década sem interpretar e dirigir um mesmo filme, Clint Eastwood está de volta com “Correio de Droga”. João Lopes destaca também as estreias de “À Porta da Eternidade”, o filme que valeu a Willem Dafoe uma nomeação para o Oscar de melhor actor, e “Mektoub, Meu Amor”, uma crónica da juventude assinada por Abdellatif Kechiche.

Clint Easwtood continua em grande forma. Aos 88 anos, interpreta e realiza “Correio de Droga”, filme centrado na personagem de um velho horticultor que se envolve nos circuitos do tráfico de droga — um drama intenso e perturbante, também um subtil retrato das zonas mais esquecidas da América interior.

Pintor e cineasta, Julian Schnabel assina “À Porta da Eternidade”, evocação da tragédia íntima de Vincent van Gogh (1853-1890), em particular dos seus anos finais. Willem Dafoe tem uma das suas grandes composições como Van Gogh e está na corrida para o Oscar de melhor actor.

Abdellatif Kechiche, cineasta francês de origem tunisina que ganhou o Festival de Cannes em 2013, com “ A Vida de Adèle”, continua a filmar os amores e desamores da juventude. Desta vez, em “Mektoub, Meu Amor”, os cenários são da década de 1990, no sul de França — o filme tem o subtítulo “Canto Primeiro”, estando já em produção uma segunda parte.

Com os Oscars na ordem do dia, um dos títulos candidatos a melhor filme estrangeiro já disponível em DVD. Chama-se “Guerra Fria”, tem realização do polaco Pawel Pawlikowski, e evoca as convulsões políticas dos anos 40/50/60 através da história amorosa de um par interpretado por Joanna Kulig e Tomasz Kot.

* Banda sonora: “O PADRINHO: PARTE III” (1990), de Francis Ford Coppola

> “Promise Me You’ll Remember”, Harry Connick, Jr.

  • Norte ou Sul? Roteiro em Peso da Régua e em Cuba
    9:34