Futuro Hoje

Onde anda o meu boletim de vacinas?

Lourenço Medeiros

Lourenço Medeiros

Editor de Novas Tecnologias

Na segunda-feira tenho uma daquelas consultas de medicina do trabalho, uma conquista da classe trabalhadora, importante e útil sem dúvida mas que, convenhamos, é sempre uma chatice quando toca a nossa vez.

Não sei onde andam as minhas folhas carimbadas…

Não sei onde andam as minhas folhas carimbadas…

Muito mais chato quando a convocatória refere o óbvio, é obrigatório trazer boletim de vacinas. É um daqueles documentos irritantes, importantes, que raramente precisamos e nunca sabemos onde estão. Se é mais organizado que eu, os meus parabéns, mas o que segue continua a ser válido.

Estava a ler a tal convocatória aqui enquanto editava um Futuro Hoje com a Ana Rita Sena, e lá vai mail para casa com uma vaga esperança - por acaso não te lembras onde é que pode estar o meu boletim de vacinas?

Com a esperada resposta - já andámos à procura da última vez e acho que não encontrámos!

A Ana Rita diz logo que era bom era ter isso em digital, e eu tenho de facto ideia de já ter andado em volta disso. Vamos lá ver. E confirma-se o que qualquer cidadão português devia saber de cor, e eu ainda mais. O facto é que nunca nos lembramos. Vou ver online, uma busca rápida confirma logo que há qualquer coisa no MySNS CARTEIRA.

MySNS Carteira, de vez em quando são lançadas novas funcionalidades.

MySNS Carteira, de vez em quando são lançadas novas funcionalidades.

Em português seria A Minha Carteira Digital do Serviço Nacional de Saúde mas por alguma razão os senhores do marketing acharam mais uma vez que soava melhor em inglês.

Reactivo a aplicação e de facto lá está o serviço, mas não chega para mim. Só me aparece uma suposta vacina do tétano em Pêro Pinheiro, num ano em que eu nem sabia onde era Pêro Pinheiro, informação obviamente desatualizada, parece-me mesmo errada.

Muitos dos utilizadores antigos, parece ser o meu caso, não têm os seus dados em papel passados para o boletim de vacinas digital. Até se compreende. Vale mais arrancar com estas coisas e ir avançando com os dados possíveis mesmo que nem todos beneficiem.

O importante é caminhar para que se torne um serviço universal. E parece que está a acontecer. Conversa puxa conversa. E daí a minutos a Ana Rita que nunca tinha usado tal coisa (e é casada com um médico) já tinha no seu telemóvel a Carteira digital do MySNS, o boletim de vacinas, os dados do cartão de utente de saúde completos, as guias de tratamento e receitas passadas, mais a possibilidade de acrescentar uma série de outros dados se assim o desejar.

Mais uns minutos e vários telemóveis lá da redação ganharam novas funcionalidades semelhantes, para os seus donos parecia um vírus, mas aqui um vírus bom do Serviço Nacional de Saúde.

Fantástico. Acessível. E desconhecido.

É que estas coisas por cá são frequentemente divulgadas no início, convenhamos que muitas vezes lançadas à pressa e a funcionar a meio gás, desmotivam os primeiros a testar os que seriam os naturais embaixadores.

Depois os desenvolvimentos continuam, as ferramentas seguem o seu caminho, os profissionais, mais livres das pressões políticas, fazem bem o seu trabalho.

Ganhamos então ferramentas verdadeiramente úteis. Aplicações que quando estão consolidadas raramente merecem nova campanha de divulgação, precisamente no momento em que todos nós ficaríamos verdadeiramente entusiasmados com o bom trabalho feito… enfim, o tempo encarrega-se naturalmente destas coisas e à medida que vamos precisando das funcionalidades até vamos descobrindo que já lá estão.

Um dia destes ninguém se lembra do tempo em que precisávamos de andar a vasculhar gavetas para encontrar o boletim de vacinas, bastará darmos a nossa autorização para que o médico tenha acesso a essa informação, em qualquer local e em qualquer ecrã.

Entretanto, vale bem a pena ver, no seu caso, até que ponto é útil o que a aplicação MySNS Carteira lhe oferece.

  • O novo templo da maçonaria portuguesa 
    6:09