Futuro Hoje

LG G8: um ou dois ecrãs

Lourenço Medeiros

Lourenço Medeiros

Editor de Novas Tecnologias

A crónica de Lourenço Medeiros, editor de novas tecnologias da SIC.

A falta que lhe fazia a capinha de plástico.

A falta que lhe fazia a capinha de plástico.

Lourenço Medeiros

Já bati que chegue numa das minhas marcas favoritas de telemóveis. Era de esperar que recuperasse, mas estas coisas não são de repente.

Depois da desilusão que tive com o V40 emprestaram-me o LG G8s Think para testar. Lá andei com ele uns tempos e a primeira coisa que posso dizer é que vinha com uma capa protetora incluída. Parecia uma resposta às minhas queixas. Não que a traseira do telemóvel seja tão atreita a riscos como era a do V40 mas pelo sim pelo não alguém teve o bom senso de incluir uma capinha, básica, transparente, mas uma capinha de proteção. Como a minha voz não deve ser lei em Seul, acredito que o meu artigo anterior não foi assim tão injusto, que houve queixas em número e peso suficiente para alertar as chefias lá na LG.

Adiante e para as coisas boas, nem entro nas questões técnicas, mas mal se liga este G8 nota-se que o ecrã é simplesmente espetacular, mais do que isso, é muito agradável. Não é só encher o olho com cores contrastadas, é mesmo muito agradável e equilibrado além de ter uma excelente definição.

Portou-se muito bem em fotografia noturna, e sem tripé.

Portou-se muito bem em fotografia noturna, e sem tripé.

Lourenço Medeiros

O reconhecimento facial continua a ser uma fraqueza destes aparelhos, sobretudo para quem conhece a eficiência do iPhone, enfim, o resto, incluindo a impressão digital, funciona muito bem. Alguns críticos até bateram na LG por ter mantido a impressão digital nas costas, este foi um método que, se não me engano, foi introduzido pela marca e que continuo a sentir como o mais natural no uso do dia a dia. Melhor mesmo que o reconhecimento biométrico no vidro, que é mais uma curiosidade que acrescenta dedadas, mas não é eficiente. Portanto, aplaudo a decisão de manter botão e leitor lá atrás, simples e eficaz. O que faz esquecer a "magia" dos comandos com gestos, algo que é melhor nem lembrar que anda por lá, é o tipo de tecnologia que a marca tenta usar para manter a dianteira, mas acredito que neste caso está a atirar ao lado.

Não me vou deter nas gracinhas de fotografias com efeitos e múltiplas exposições que na minha opinião não adiantam muito. Cinco câmaras, duas à frente e três atrás dão para todas as situações, a qualidade da LG não fica por mão alheias. Há uns curiosíssimos efeitos de estúdio que retiram o fundo de forma relativamente eficaz, se formos ao detalhe tem falhas notórias, que mais uma vez parece tecnologia por acabar.

Será que a próxima versão traz fundos alternativos para as nossas vaidades?

Será que a próxima versão traz fundos alternativos para as nossas vaidades?

Lourenço Medeiros

Ou seja, tenho a sensação de que aqueles efeitos estão lá para que possamos colocar fundos alternativos nas nossas selfies, mas não dei com a forma de o fazer. Acho eu que só fizeram metade do pretendido, a menos que a ideia fosse que nos divertíssemos imenso a fazer selfies "em lugar nenhum" e com fundos neutros, parece-me pouco. Suponho que o resto virá na próxima versão.

Além de testar o G8 tive a oportunidade de ver a apresentação do modelo do mesmo telefone como segundo ecrã. Na prática o G8x Dual Screen é o mesmo telefone, com uma capa que suporta um segundo ecrã exatamente igual. Tão igual que tem o mesmo "notch" em cima, mesmo que neste caso não corresponda a nenhuma função ativa. O conceito em teoria parece muito interessante. Podermos ter dois interfaces complementares, ao mesmo tempo pode aumentar a produtividade ou as possibilidades de entretenimento. O uso mais óbvio seria o dos jogos, com um ecrã dedicado apenas aos comandos.

O exemplo dos jogos, na verdade há poucos programas prontos. Começou agora, mas será que vão fazer mais?

O exemplo dos jogos, na verdade há poucos programas prontos. Começou agora, mas será que vão fazer mais?

Lourenço Medeiros

É das tais coisas, não gosto de falar do que não conheço, vai ter que ser. Não conheço no sentido em que só experimentei durante alguns minutos e não sei se num teste prolongado me rendia ou não aos dois ecrãs. Para isso seria necessário que muitas empresas permitissem a adaptação dos seus programas ao sistema o que me parece duvidoso. Fá-lo-iam se vissem aqui uma tendência e não um modelo isolado que não vai fazer história. É infelizmente o que me parece. É um gadget curioso, mas não me parece suficiente atraente para continuar noutros modelos. Ao fim de pouco tempo, eu e muitos dos que lá estavam, ficámos felizes por descobrir a forma prática de tirar o segundo ecrã, tirar a capa que o suporta e usar apenas o G8, que esse sim até é um excelente telefone.

O dual screen vem com espelho, quase um acessório extra :)

O dual screen vem com espelho, quase um acessório extra :)

Lourenço Medeiros

LG G8S ThinQ com ecrâ de 6.21'' 6 GB de Ram 128 GB de armazenamento custa cerca de 800 euros de origem, mas conseguem-se descontos importantes.