Polígrafo

Carlos Carreiras: "O problema do PSD não é de conteúdo. É a forma"

Entrevista Polígrafo SIC

Carlos Carreiras, presidente da Câmara Municpal de Cascais, em entrevista ao Polígrafo SIC.

O presidente do PSD, Rui Rio, em entrevista ao Observador, criticou duramente o presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, de quem disse ter sido "o principal responsável" pela "desgraça" do resultado das eleições locais de 2017, em que foi o coordenador autárquico.

"Esse é o pior, é o mais incompetente disto. Sendo ele o primeiro responsável (...) veja a desgraça que foi 2017", disse Rui Rio ao Observador.

Nas eleições de 2017, Carlos Carreiras foi coordenador autárquico do PSD e o partido obteve um resultado desastroso: apenas 98 câmaras, menos oito que em 2013. E o maior símbolo da derrota foi a cidade de Lisboa, onde o partido obteve apenas 11,23% dos votos.

No entanto, Carlos Carreira foi um dos maiores vencedores individuais da noite eleitoral, ao renovar o mandato em Cascais com maioria absoluta.

Em entrevista ao Polígrafo SIC, Carlos Carreiras diz que Rui Rio "tem razão", porque "foi um péssimo resultado". Mas acrescenta que o líder do PSD "tem agora uma possibilidade de tirar o incompetente, que é não homologar o meu nome".

"A responsabilidade do resultado era minha, dos dirigentes concelhios e distritais e dos próprios candidatos a presidentes de câmara."

O presidente da Câmara de Cascais entende que esta situação "é tudo o que o partido não precisa".

"O problema do PSD não é de conteúdo, estou de acordo com o conteúdo, é a forma."

Para Carlos Carreiras "não faz sentido" fazer oposição para dentro, mas "fazer oposição para fora, apresentando um projeto alternativo, um projeto credível".

Ganhar as eleições autárquicas "é muito difícil ao PSD", diz Carlos Carreiras, "o objetivo do líder do partido também não é esse", mas sim crescer o número de câmaras e mandatos.

"Acredito que o PSD apresentará bons candidatos a presidente de câmara. Se são bons candidatos para umas eleições, isso verificar-se-á nas eleições."

  • Mussolini: o pai dos populistas

    Extremos

    Antonio Scurati descreve Mussolini como "o primeiro líder populista da História". O líder fascista "é sem dúvida um ditador, mas foi também o ideólogo da tipologia de liderança populista que ainda hoje domina a cena política", conta o professor e investigador italiano à equipa Extremos

    Maria Rodrigues e Rita Murtinho