Reportagem Especial

Tão difícil é a esperança

Este sábado, no Jornal da Noite

Tão difícil é a esperança

Desde 1977, Portugal recebe e dá assistência médica a doentes que chegam dos Países de Língua Oficial Portuguesa(PALOP)Nos acordos estão definidos os deveres e obrigações das duas partes.

Apenas o número de doentes a tratar e o pagamento de algumas despesas são diferentes conforme os países envolvidos.

Mas Portugal está sempre obrigado, por exemplo, a pagar, na íntegra, consultas e internamento, exceto no caso de Angola em que estas despesas são divididas ao meio.

O ano passado o país gastou três milhões e meio de euros a tratar, nos hospitais públicos nacionais, 2801 doentes transferidos dos PALOP.

Os países de origem dos doentes devem garantir a viagem, os medicamentos e a estadia.

Mas a SIC encontrou casos de profunda fragilidade e pobreza e ouviu embaixadores como o de São Tomé e Príncipe e o da Guiné-Bissau assumirem que não cumprem a sua parte nos protocolos.

"Tão difícil é a esperança" é a Reportagem Especial do Jornal da Noite deste sábado.

  • Palestinianos boicotam cimeira organizada pelos EUA no Bahrein
    2:50
  • André Rieu fez um vídeo para os fãs portugueses
    0:38