Reportagem Especial

Às voltas com o Lixo

Este sábado, no Jornal da Noite

Às voltas com o Lixo

Até 2022, Portugal tem de reciclar 50% dos resíduos que podem ser reciclados, tais como o papel e o plástico. Mas o país corre o risco de falhar as metas europeias. No ano passado, apenas 40% do lixo que se pode reciclar entrou nos fluxos para reutilização e reciclagem.Os ambientalistas defendem uma maior aposta na recolha seletiva porta a porta e a implementação de um tarifário mais justo e que incentive o cidadão a separar o lixo.

Mas Portugal tem mais desafios... um deles é implementar a recolha seletiva de biorresíduos até final de 2023. As sobras alimentares constituem cerca de 40% do nosso contentor doméstico e atualmente acabam misturados no lixo indiferenciado. Mas a matéria orgânica pode ser aproveitada e usada como corretivo orgânico, através do processo de compostagem, seja doméstica ou à escala industrial. Alguns municípios já se estão a antecipar a esta diretiva comunitária, até porque desviar os biorresíduos do lixo comum tem benefícios ambientais e financeiros.

Antes de reciclar, vem o "reduzir" e o "reutilizar". Mas o lema parece estar a passar ao lado dos portugueses, que produziram quase 5 milhões de toneladas de lixo no ano passado. Este valor cresce todos os anos desde 2014, quando o país começa a sair da crise. Em 2018, cerca de 33% dos resíduos urbanos foram parar aos aterros sanitários e quase 20% foram encaminhados para as incineradoras.

"Às voltas com o Lixo" é a Reportagem Especial do Jornal da Noite de sábado.