Reportagem Especial

Estou doente... e agora? - Parte II

João Venda

João Venda

Repórter de Imagem

Rui Rocha

Rui Rocha

Editor de Imagem

O diagnóstico de aneurisma foi o ponto de partida para o segundo episódio da reportagem “Estou doente... e agora?”. 

Uma dor de cabeça intensa e repentina, numa mulher de 52 anos, juntou a equipa de neurorradiologia. Sem tempo a perder é preciso reparar danos.

O diagnóstico de aneurisma foi o ponto de partida para o segundo episódio da reportagem “Estou doente... e agora?”.

Quando um aneurisma cerebral rompe, provoca AVC hemorrágico que pode ser mais ou menos grave. A decisão de "como tratar" é discutida pela equipa de neurorradiologia e neurocirurgia do Hospital Garcia de Orta, em Almada.

O cansaço da pandemia fez com que esta mulher parasse de tomar a medicação, acabou por entrar na urgência do Hospital Garcia de Orta, a 23 de janeiro, na pior semana de sempre das urgências devido a infeção por Sars-Cov-2.

A prioridade dada pelo Serviço Nacional de Saúde aos doentes covid remeteu para segundo plano doentes crónicos.

A pandemia é a principal responsável por exames de diagnóstico não realizados, no caso do cancro colorretal os rastreios foram mesmo suspensos. Há doentes com cancro que desconhecem.

Há doentes que por determinação e por viverem numa das regiões do país com maior incidência de cancro colorretal, Alentejo, foram ao médico e salvaram a vida.

  • 16:26