Grande Reportagem SIC

A Montra do Império

Grande Reportagem SIC

Há quase 100 anos, o Porto recebeu uma das maiores exposições de que há memória em Portugal. Ao longo de três meses e meio, pelos jardins do Palácio de Cristal, passaram mais de um milhão e meio de visitantes. Num país pobre, analfabeto e rural, a dar os primeiros passos no Estado Novo, o regime liderado por Salazar quis mostrar ao Mundo que Portugal não era um país pequeno. A exposição serviu para promover o país enquanto potência colonizadora, no contexto internacional da época.

Numa exaltação do colonialismo, foram enviados a partir das colónias várias centenas de nativos, de África, da Ásia, da Oceânia. Estiveram expostos, durante todo o período deste evento, sob o olhar atento de quem os ia espreitar. Algo comum noutros países, da Europa aos Estados Unidos, num conceito hoje em dia apelidado de Zoos Humanos.

Foram estudados e analisados, no âmbito de congressos. Foram fotografados e filmados, de forma a alimentar a curiosidade de quem pouco ou nada sabia das colónias, de quem nunca tinha visto uma cor de pele diferente; a cor, acima de tudo, de quem vinha de África.

O lado exótico das colónias era usado pelo regime para desviar para o continente africano a migração em massa que existia na altura, para o Brasil. A comitiva da Guiné foi a que despertou maior atenção, mais que tudo pela nudez das mulheres, repetidamente exposta e fotografada. Rosa, ou Rosinha, de seios expostos e sorriso contigo, atraía milhares que a queriam, apenas, espreitar.

Há outros nomes, outras histórias. A do menino Augusto, o mascote da Exposição. Ou o valente Papé, que faleceu em Julho de 1934, enterrado no cemitério de Agramonte.

A Grande Reportagem percorreu o fio da História ao encontro dos detalhes e das estórias da Exposição Colonial do Porto. Para ver, esta quinta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

Jornalista - Luís Manso

Repórter de Imagem - Luís Nobre Botas

Edição de Imagem - Rui Félix

Grafismo: Marta Coelho

Colorista: Rui Branquinho

Pós-produção áudio: Octaviano Rodrigues

Produção: Diana Matias

Coordenação: Amélia Moura Ramos

Direção: Ricardo Costa