Volante

A nova era da travagem 

Opinião

A nova era da travagem 
Canva

A tecnologia dos automóveis tem evoluído a ritmo acelerado, mas há vários anos que os sistemas de travagem se mantêm sem alterações significativas. Os elementos mecânicos são os mesmos e os dispositivos de segurança também. Mas a história está prestes a mudar.

A Brembo é uma marca com historial e uma referência em travões. A marca acaba de lançar um novo sistema inteligente designado Sensify. Resumidamente, com este sistema a Brembo integra no mesmo ecossistema todos os componentes mecânicos e também os sistemas de segurança eletrónicos como o ABS, que tradicionalmente são criados por outros fabricantes. Assim, o hardware fica integrado com os materiais físicos do processo de travagem que são controlados por via digital e com recurso a inteligência artificial.

Soa confuso? Talvez seja, mas o resultado parece ser surpreendente.

Esta nova tecnologia foi anunciada em 2019. Dois anos depois, a Brembo ainda não revela grandes detalhes. Os responsáveis da marca adiantam que cada roda é controlada de forma independente e que o sistema de travagem se adapta de forma automática ao estilo de condução. No fundo, é aplicar à travagem aquilo que já acontece nalguns automóveis com o mapeamento da caixa de velocidades, a resposta do motor ou mesmo a suspensão.

Numa primeira análise, o novo sistema da Brembo terá também uma aplicação importante em automóveis desportivos, ao balancear a força de travagem de forma independente em cada roda.

Mas é a aplicação geral que pode revolucionar a eficácia e a segurança da travagem. Quando for comercializada, em 2024, esta nova tecnologia vai permitir reduzir tempos e distâncias de travagem. O cérebro do sistema está distribuído por duas ECU, que ficam encarregues de cada eixo respetivamente. Quando o condutor pressiona o pedal do travão, é gerado um cálculo em milisegundos que gera uma atuação dedicada em cada roda. Ao mesmo tempo o sistema impede o bloqueio dos travões, tal como acontece na tecnologia ABS, mas aqui de forma ainda mais rápida e eficaz. Ao contrários dos sistemas convencionais, este novo sistema não utiliza fluído de travões e recorre a um motor para fazer o acionamento. Outra vantagem é a dispensa de manutenção. É de esperar que este sistema dispense assistência técnica ao longo de toda a vida do veículo. A Brembo prevê ainda que os utilizadores possam personalizar o sistema de travagem de acordo com as preferência e com recurso a uma app que transmite a informação ao automóvel.

O maior salto tecnológico dos sistemas de travagem aconteceu no início da década de 80. A chegada do sistema ABS, primeiro nos topos de gama, trouxe uma até aí inédita capacidade de imobilizar um automóvel sem bloquear as rodas. Os primeiros anos do sistema mostravam que havia margem para evoluir. Hoje, o ABS é obrigatório e muito mais eficaz do que quando era um opcional exclusivo do modelos topo de gama. Mas, na génese, o sistema ABS mantém hoje os mesmo princípios que tinha à data de estreia. É por isso que toda a indústria olha para este sistema da Brembo com atenção e curiosidade. Obrigatório na União Europeia desde 2004, o ABS é hoje essencial na segurança de qualquer modelo de automóvel.

As primeiras demonstrações do Brembo Sensify foram realizadas com recurso a um Tesla Model 3. A Brembo admite que o sistema funciona melhor em automóveis elétricos, mas pode ser instalado em qualquer automóvel com motor a combustão. Em estudo está também a possibilidade de adaptar o Brembo Sensify a motos.

O que ando a conduzir

Opel Mokka e

A ofensiva elétrica da Opel conta agora com este SUV Compacto. A autonomia real ronda os 300km em cidade. Partilha a plataforma do Peugeot e-2008 e do DS3 Crossback e-Tense. O Opel Mokka vem revolucionar a imagem da Opel e neste versão elétrica tem preços a começar nos 36 mil euros, o que significa uma diferença de 12 mil euros para a versão a gasolina.

Hyundai Tucson Plug-in

A Hyundai tem no Tucson um modelo com muito potencial de sucesso. A versão mild hybrid, já com algum tempo no mercado, garante consumos abaixo dos 5 litros aos 100km. Neste plug-in, como seria de esperar, o consumo aumenta consideravelmente quando se acaba a autonomia 100% elétrica. É bom contar com números na casa dos 7 litros aos 100. De resto, é um automóvel irrepreensível no refinamento da condução e uma boa experiência tanto para condutores mais experientes como para aqueles que estão a dar os primeiros passos no contexto da mobilidade eléctrica.

BMW 840d Cabrio

Numa era em que se fala do fim anunciado do diesel, a prova de que na Alemanha e em vários países europeus os blocos a gasóleo resistem. O refinamento deste cabrio passa pelos materiais mas também pela insonorizarão que nos faz esquecer que estamos a bordo de um descapotável. O motor 6 cilindros em linha debita 320cv e tem um som que nem nos permite lembrar que este é um diesel. Menos de 5 segundos dos 0 aos 100km/h e tração integral xDrive fazem parte dos argumentos de um automóvel de excepção. Não é de admirar que os preços comecem nos 130 mil euros.

Kia EV6

A Kia confirma que está a dar passos sólidos na eletrificação. A nova proposta do construtor coreano utiliza a plataforma que foi estreada pelo Hyundai Ioniq 5. Chegou a Portugal no final de outubro e já se sabe que vai ter uma versão e-GT em 2023. Tração traseira, 229cv, baterias com 77,4kWh de capacidade e uma autonomia anunciada de 475km no ciclo WLTP. O Kia EV 6 é um dos automóveis que mais me surpreendeu em 2021, a par do irmão da Hyundai. É um concentrado de tecnologia e até pode ser operado a partir do exterior, através do comando.

Últimas Notícias
Mais Vistos