Saúde e Bem-estar

Pólenes muito elevados nos próximos dias

(Reuters/ Arquivo)

REUTERS

O Boletim Polínico faz a divulgação semanal dos níveis de pólenes existentes no ar atmosférico recolhidos através da leitura de postos em todas as regiões de Portugal continental.

As concentrações de pólenes no ar vão estar muito elevadas em todas as regiões de Portugal continental nos próximos sete dias, segundo o Boletim Polínico da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC).


De acordo com o boletim, que está em vigor até dia 28 de março, em Lisboa e em Setúbal, os pólenes encontram-se em níveis muito elevados, com predomínio para os das árvores plátano, azinheira e outros carvalhos e ciprestes, e das ervas urtiga e parietária.


Em Vila Real (região de Trás-os-Montes e Alto Douro), os pólenes encontram-se em níveis muito elevados, predominando os das árvores plátano, cipreste, pinheiro e carvalhos, a mesma situação para o Porto (região de Entre Douro e Minho), ainda com níveis muito elevados provenientes da erva urtiga.


Em Coimbra (região da Beira Litoral), encontram-se igualmente em níveis muito elevados, com predomínio dos pólenes das árvores plátano, cipreste, pinheiro, azinheira e outros carvalhos e das ervas urtiga e parietária.


Por sua vez, em Castelo Branco (região da Beira Interior), os pólenes encontram-se em níveis muito elevados, na atmosfera predominam os pólenes das árvores plátano, cipreste, pinheiro, azinheira e outros carvalhos e da erva azeda.


De acordo com o Boletim, em Évora (região do Alentejo), os pólenes encontram-se em níveis muito elevados, com destaque para os das árvores plátano, azinheira e outros carvalhos, cipreste e das ervas urtiga e azeda.


Ainda no continente, em Portimão (região do Algarve), os pólenes vão estar com níveis muito elevados, predominando os das árvores pinheiro, azinheira e outros carvalhos e cipreste, e da erva urtiga.


Ao contrário das regiões do continente, os pólenes estarão em níveis baixos na Madeira, destacando-se os das árvores cipreste, pinheiro, eucalipto e da erva parietária.


Em Ponta Delgada (região autónoma dos Açores), os pólenes apresentam também níveis baixos, com predomínio para os da urtiga e das árvores criptoméria, pinheiro e plátano.


Lusa

  • Minutos salva-vidas
    20:48