Saúde e Bem-estar

Afinal, o sexo masculino não é melhor a matemática

© Yannis Behrakis / Reuters

Diferenças estão relacionadas com a sociabilização.

Um estudo divulgado na passada sexta-feira na publicação científica Science of Learning concluiu que as crianças utilizam os mesmos mecanismos no cérebro para resolver problemas matemáticos independentemente do género.

O estudo contou com a participação de 104 crianças com idades entre os três e 10 anos. Foram submetidas a testes cognitivos e aulas de matemática durante ressonâncias magnéticas para verificar que áreas do cérebro respondiam aos exercícios.

O resultado mostrou que as áreas que respondem aos estímulos são as mesmas nos meninos e meninas, desacreditando o mito de que o sexo masculino é melhor a matemática.

Jessica Cantlon, autora deste estudo, explica que "a sociabilização típica pode exacerbar pequenas diferenças entre meninos e meninas, que podem intrometer-se na forma como os tratamos em ciências e matemática”, cita a CNN.