Saúde e Bem-estar

"Muitos traumas e feridas têm a ver com palavras". Vídeo mostra as consequências de gritar com crianças

Canva

As consequências de gritar com os filhos e a diferença se isso não acontecer.

A atitude dos pais pode mudar a vida de uma criança e ter consqueências desde pequeno até à fase adulta. Um vídeo, "Las vidas de Mario", publicado numa página da rede social Instagram dedicada à hiperatividade mostra as consequências de os pais gritarem com os filhos e a diferença, caso isso não aconteça.

O vídeo mostra tristeza e desconcentração ainda em criança e reações violentas, stress e possíveis adições com droga e álcool já na fase adulta, nos casos em que a criança cresceu com gritos e palavras violentas do pai.

Mostra também o oposto numa família em que isso não acontecia.

Instagram

Mario, protagonista do vídeo, foi diagnosticado com Transtorno de deficit de atenção/Hiperatividade. No entanto, a mensagem aplica-se a todos os pais.

"Se estivéssemos cientes do poder que as palavras têm nos nossos filhos e das feridas que podemos causar, faríamos o possível para mudar a linguagem. Muitos traumas e feridas têm a ver com palavras e gestos", diz a psicóloga Úrsula Perona, autoria do livro "'Hijos de Alta Demanda".

A mesma especialista, citada pelo jornal espanhol ABC, explica que quando os pais falam bem com os filhos, quando são pacientes e os ajudam, estão a mostrar autoconfiança e a passar uma mensagem de que as crianças são valiosas e que têm orgulho nelas.

A psicóloga Úrsula Perona explica que os pais passam por situações stressantes e complicadas com os filhos e que expressam a frustração, o cansaço e a raiva através de uma comunicação agressiva.

O stress familiar, que torna as pessoas mais reativas e com menos autocontrole, o cansaço e o desconhecimento das etapas de desenvolvimento da criança podem agudizar a frustração e contribuir para essa comunicação agressiva.

  • 2:55