Os Especialistas

A influência do meio ambiente no aparecimento de cancro

A história está cheia de casos dramáticos que confirmam as influências do meio ambiente nas causas do cancro.

(Arquivo)

© STR New / Reuters

O número anormal de tumores registados em espaços delimitados e em populações circunscritas permitiu, ao longo dos tempos, estabelecer uma relação entre determinadas profissões e o cancro.

O estudo da saúde das populações e o contacto que têm com determinadas substâncias contribui para conhecer melhor as causas da doença e, assim, desenvolver medidas de prevenção.

EDIFíCIOS COM ESTRUTURAS DE AMIANTO E AS MINAS DE URÂNIO ABANDONADAS SÃO DOIS EXEMPLOS QUE LEVANTAM PREOCUPAÇÃO

Os casos de doentes que estiveram expostos ao amianto ou viveram em aldeias próximas de minas de urânio abandonadas são exemplos recentes que levantam preocupações.

No caso do amianto, e por questões de segurança, desde 2005 que, em Portugal, é proibido utilizar qualquer fibra de amianto nas construções. Mais recentemente foi publicada legislação que obriga à remoção de produtos que contêm fibras de amianto em edifícios, instalações e equipamentos públicos e privados.

Quanto ao número anormal de tumores registados em localidades próximas de antigas minas de urânio, têm sido realizados testes para apurar a origem do problema, ou seja, se as suspeitas de contaminação se confirmam. As minas foram abandonadas, mas a radioatividade libertada pelos escombros nunca foi totalmente eliminada.

Análises a amostras recolhidas no meio ambiente, nomeadamente à água dos poços e canalizada, aos alimentos e ao ar, comparadas com análises feitas aos mesmos produtos recolhidas em localidades limpas de matérias suspeitas, permitem concluir se o contato com determinadas substâncias está na origem do aparecimento de cancro.

A par dos testes ambientais, fazem-se análises à população, através da recolha de amostras de sangue, pele, cabelo, para estudar a relação entre o meio ambiente e o estado de saúde das pessoas.

Está confirmado há muito tempo que a exposição frequente e a doses elevadas de radiação é uma das causas da divisão descontrolada das células, o que origina o cancro.

DAS CRIANÇAS QUE LIMPAVAM AS CHAMINÉS DAS FÁBRICAS ÀS "MENINAS DO RÁDIO", SÃO MUITOS OS CASOS DRAMÁTICOS

A história está cheia de casos dramáticos que confirmam essa relação: o caso das crianças "limpa-chaminés" das fábricas inglesas, que apareceram com cancro do escroto; as "meninas do rádio" , operárias que desenvolveram leucemias e cancros da língua, maxilares e garganta, por levarem à boca os pincéis impregnados de tintas misturadas com rádio com que pintavam os ponteiros e os números dos relógios; os trabalhadores com cancro da pleura, depois de longas exposições ao amianto; os fumadores e o cancro do pulmão; para não falar das vítimas de explosões de bombas e centrais nucleares.

Os Especialistas

Mais