Vida

Nova teoria indica que Stonehenge foi um enorme cemitério 

Investigadores britânicos revelaram hoje uma  nova teoria sobre as origens de Stonehenge, ao referirem que o antigo círculo  de pedras foi originalmente um cemitério e um local de grandes celebrações.

© Chris Helgren / Reuters

As pesquisas questionam a velha tese de que Stonehenge, situado na planície  de Salisbury, sudoeste da Inglaterra, funcionava como um calendário ou observatório  astronómico da Idade da Pedra.   

Uma equipa liderada pelo professor Mike Parker Pearson, da University  College de Londres, disse que a origem de Stonehenge, património mundial  da UNESCO, é mais antiga e possuía uma função diferente da inicialmente  prevista.  

"Em grande medida, as nossas descobertas estão a reescrever a história  que foi estabelecida sobre Stonehenge", disse Parker Pearson, citado pela  agência noticiosa AFP.  

Os arqueólogos promoveram durante dez anos diversas pesquisas que incluíram  escavações, trabalho de laboratório e a análise de 63 antigos restos humanos.

Os investigadores referem que o Stonehenge original foi utilizado como  um túmulo para famílias distintas e construído cerca de 3.000 A.C., 500  anos mais cedo do que a data até agora atribuída para o monumento, hoje  famoso em todo o mundo.  

Os restos de diversos corpos cremados "foram marcados com as pedras  azuis de Stonehenge", precisou Parker.  

Análises efetuadas aos restos de 80.000 ossos de animais detetados no  local também sugerem que, por volta de 2.500 A.C., decorreram em Stonehenge  grandes festas comunitárias.   

"Parece que os povos antigos viajavam para celebrar os solstícios do  verão e do inverno mas também para construir o monumento", acrescentou o  professor.  

"Stonehenge era um monumento onde se c Nova teoria afirma que Stonehenge foi um enorme cemitério 

     

Lusa

  • Branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo. Os riscos da banca angolana em Portugal
    20:49