Mais de 80% dos glaciares podem desaparecer

até ao final

do século

Um estudo da Faculdade de Engenharia da Universidade de "Carnegie Mellon", nos Estados Unidos, mostrou que, num cenário futuro com investimento contínuo em combustíveis fósseis, mais de 40% da massa glaciar desaparece dentro de um século, com a grande maioria dos glaciares a acabar também.



A equipa de investigação calculou que, mesmo num cenário de baixas emissões

de gases com efeito de estufa, limitando o aumento da temperatura média mundial

a 1,5ºC em relação aos níveis pré-industriais, mais de 25%

da massa glaciar desaparecerá

e quase metade dos glaciares desaparece também.

Segundo os modelos estabelecidos, o mundo pode perder até 41%

da massa total de glaciares

ou apenas 26%, consoante

os esforços que os países façam

de limitar as emissões de gases

com efeito de estufa.

Um dos investigadores explica

que os glaciares levam muito tempo

a responder às alterações climáticas e avisa que uma redução imediata das emissões de gases com efeito de estufa, mesmo que fosse

uma paragem total de emissões, não vai remover os gases já emitidos

e só vai refletir-se na perda de massa dos glaciares num período que vai de 30 a 100 anos.



A equipa de investigação diz esperar que o estudo estimule os decisores políticos a tomar decisões no sentido de impedir um maior aumento da temperatura média do planeta.

<!— netScope v4 – Begin of gPrism tag for AMPs -->