"SleePsy": como estão a dormir

as crianças portuguesas?

A Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) quer analisar a influência do sono no desenvolvimento das crianças, um estudo que inclui a relação entre a exposição aos ecrãs e os níveis de melatonina, foi esta quinta-feira divulgado.

Em declarações à agência Lusa, Andreia Neves admitiu que persistem na sociedade mitos sobre a qualidade do sono e lamentou a ausência de uma atenção a este tema, comparando com outros que têm merecido mais destaque.

Para integrar o estudo, as crianças têm de ter entre 18 meses e dois anos e três meses. Depois, as crianças serão seguidas até aos quatro anos.

O "SleePsy" é um estudo nacional e o recrutamento decorrerá no Porto, em Vila Nova de Gaia e em Lisboa, prolongando-se até junho. As crianças serão seguidas ao longo de dois anos, sendo feitas três avaliações: no início do estudo, um ano depois e no final do estudo. A FMUP tem como margem o recrutamento de 150 a 300 voluntários.

O objetivo principal é responder à pergunta: "como estão a dormir as crianças portuguesas?", somando-se outras questões e até mitos relacionados com este tema.

"Sabemos que as crianças cada vez se expõem mais precocemente a ecrãs. Por isso, a nossa ideia é medir, de forma objetiva, qual é a relação entre o tempo de exposição aos ecrãs e a qualidade do sono das crianças", acrescentou a investigadora.

Andreia Neves realçou que este estudo seguirá um método diferenciado, uma vez que a maior parte das análises semelhantes partiram de questionário aos pais, enquanto neste caso o sono das crianças será avaliado com recurso a um aparelho não invasivo, semelhante a um relógio de pulso, validado e utilizado em meio hospitalar por pessoas de todas as idades.



Este exame, designado actigrafia, irá medir também a quantidade de luz a que as crianças estão expostas.

Também é um objetivo deste estudo analisar os níveis de melatonina, a chamada "hormona do sono" naturalmente produzida pelo corpo humano e que contribui para regular o relógio biológico.


Ao contrário da maioria dos países europeus, que exigem prescrição médica, em Portugal a melatonina é de venda livre.

Para medir a melatonina, os investigadores vão utilizar uma amostra de urina das crianças.


Por sua vez, o desenvolvimento psicomotor será avaliado através da Escala de Avaliação das Competências no Desenvolvimento Infantil que mede oito áreas: a audição, a visão, o raciocínio, a motricidade fina e a grossa, a autonomia, a interação social e a cognição.

Nesta avaliação, são utilizados, por exemplo, puzzles e jogos adaptados a cada idade.


Não são elegíveis neste estudo crianças prematuras e crianças com diagnóstico de doenças de desenvolvimento.

Podem participar crianças com patologias que impliquem medicação diária, sendo feita uma avaliação, uma vez que há medicamentos que interferem com o sono.

<!— netScope v4 – Begin of gPrism tag for AMPs -->