• Sérgio Aleluia

    Natural de Lisboa mas foi em Tomar que cresci e me tornei o que sou hoje. Acredito que foi a “terra” que me fez saber olhar para as pequenas coisas. Sou licenciado em Comunicação Social pela Escola Superior de Tecnologia de Abrantes. Em 2013 descobri os microfones da Rádio Cidade de Tomar e pouco depois aceitei entrar na aventura de criar um canal de televisão regional, a Tomar TV, onde colaborei 5 anos. Mas o grande desafio começou em 2016, na SIC, onde estou até hoje.

  • Susana Ruela

    Em pré-adolescente gravava emissões de rádio em cassetes com direito a alinhamentos. Fiz dança e teatro durante muitos anos. Miúda de muitos interesses, levei tempo a chegar à minha vocação. Entrei na Universidade Autónoma de Lisboa para tirar Ciências da Comunicação, na vertente de jornalismo. Queria fazer tudo e tudo ao mesmo tempo. Transitei dos palcos para trás do écran, para trás do microfone. Estagiei na TVI online, onde viria a regressar para outros trabalhos. Fiz um estágio fogaz na TSF. Foram os registos magnéticos que me trouxeram à SIC. Entre pós-graduações, cursos de especialização e cursos no CENJOR, fui crescendo lado a lado com a SIC e por aqui continuo a crescer.

  • Paula Mesquita Lopes

    Jornalista desde 1989, começou na TSF e passou pela RDP e pela RTP até chegar à SIC, 10 anos depois, é convidada para a equipa do Programa Esta Semana, de Margarida Marante. A SIC Notícias é o seu projeto mais longo no que se pode chamar uma carreira improvável, já que se licenciou em História. Integrou a equipa fundadora do primeiro canal de notícias português e é aí que está a sua "cadeira de sonho": na régie da SIC Notícias. Nesta página podem ler as opiniões de uma ribatejana do Cartaxo, mãe de dois adultos e, last but not least, mulher que considera o género, relevante.

  • Mariana Xavier

    Nasci onde se fala a segunda língua oficial portuguesa e as tradições fazem parte do dia-a-dia. A cultura está viva na minha (curta) história. Canções, teatros e horas entre páginas de aventuras e thrillers aguçaram a minha curiosidade. Foi no jornalismo que encontrei forma de matar esta sede, entre Vila Real e Lisboa. Quando entrei pela primeira vez na SIC em 2018, ainda como estagiária, corri para a editoria de cultura. Voltei um ano depois para percorrer o país ao som dos festivais de verão. Entre entradas e saídas, o ano que foi duro para todos fez-me regressar a uma segunda casa. Da minha janela, o Douro continua como plano de fundo, mas é aqui que cresço todos os dias.

  • Germano Almeida

    Jornalista há quase três décadas, dedicou boa parte dos últimos 20 anos a analisar ao detalhe a política norte-americana, tema sobre o qual escreve e comenta com regularidade na SIC Notícias. Quatro livros publicados sobre presidências americanas.

  • Mauro Paulino

    Revelou, desde muito cedo, interesse pelo estudo da mente, em particular no contexto da justiça. Licenciou-se em Psicologia Clínica e de Aconselhamento, tendo escolhido para tema de dissertação o abuso sexual de crianças, trabalho que esteve na génese do seu primeiro livro. Seguiu-se o mestrado em Medicina Legal e Ciências Forenses, com a tese dedicada à violência doméstica. Está a realizar o doutoramento em Psicologia Forense, enquanto assume funções de coordenador da Mind | Instituto de Psicologia Clínica e Forense, bem como de perito consultor do Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses. Foi convidado a integrar o Conselho Nacional de Psicólogos e é membro do <em>National Awarding Committee</em> da Ordem dos Psicólogos Portugueses, no âmbito do Certificado Europeu de Psicologia – Europsy. Docente convidado em várias universidades. É também autor e coordenador de diversos livros.

  • José Manuel Freitas

    Jornalista a tempo inteiro durante 40 anos. Comentador televisivo por opção desde 2012, na SIC desde setembro de 2020, num regresso à casa de partida, pois foi aqui que entrou neste mundo: em 1994, nos “Donos da Bola”. O futebol faz parte da sua vida: seis Campeonatos do Mundo, quatro Campeonatos da Europa e centenas de jogos a perder de vista. Mas os Jogos Olímpicos de Los Angeles-84 são a sua medalha de ouro. Como a de Carlos Lopes! De segunda a sexta-feira, é presença habitual no programa da SIC Notícias Jogo Aberto, às 18:00.

  • Filipa Traqueia

    A primeira experiência jornalística foi na SIC Notícias, tendo voltado a esta redação uns anos depois. No entretanto, foi jornalista de política e integrou a equipa de multimédia do jornal i e do semanário Sol. Passou pelo suplemento de economia Dinheiro Vivo, colaborou com o jornal local O Figueirense e fez parte do projeto estudantil tvAAC. Colabora também com a plataforma de fact checking Polígrafo.

  • Susana Bastos

    Jornalista desde 1900 e troca o passo. Primeiro na rádio (o "bichinho" existe, confirmo, e deixa saudade), depois na televisão. Como se diz no meio sou "todo-o-terreno": sociedade, educação, saúde, justiça, política, internacional, economia, cultura, desporto, faço de tudo um pouco e vou onde está a notícia. Não sei, nem seria feliz, a fazer outra coisa.

  • Márcia Silva Gonçalves

    O jornalismo era um sonho que eu nem sabia que tinha. Sempre quis seguir investigação criminal, mas a vida trocou-me as voltas. O destino trouxe-me até aqui, e a Televisão é, agora, a minha segunda casa. Em comum... as duas profissões, têm a busca pelos factos e pela verdade, o rigor e o poder da pergunta. Hoje, cada dia passado na redação ou no terreno contribui para tornar o sonho realidade. Sou jornalista. Sou feliz... e porque assim é, não me arrependo da troca. Gosto de contar histórias, e gosto ainda mais de as contar na SIC, família onde cheguei em outubro de 2018, e onde quero continuar.

  • Rui Carlos Teixeira

    <em>"O desafio da superação e a superação do desafio!"</em>. Esta frase chegou-me aos ouvidos na faculdade e tudo nela fez sentido. E continua a fazer - hoje, ainda mais. Encaro a vida desta forma. E o jornalismo não é exceção. Perdi a conta ao número de vezes que em miúdo dizia <em>"quando for grande quero ser jornalista da SIC!"</em>. Nos anos 90, estas palavras carregavam tanto de sonho como de incerteza. Até que em 2016, chegou uma notícia que há muito queria ouvir. Começava um dos desafios da minha vida. Agora, estou do lado de quem faz e dá as notícias. E esse desafio, está longe de ser superado.