Cultura

Profissionais preocupados com efeitos do surto no setor cultural

Profissionais preocupados com efeitos do surto no setor cultural

Euclides Semedo

Euclides Semedo

Repórter de Imagem

Em Portugal, já começam a surgir preocupações na área da cultura, por causa da enorme quantidade de espetáculos adiados ou cancelados. O setor cultural teme as consequências, a curto prazo, das medidas de contenção agora instauradas.

Até 5 de abril o silêncio vai estar instalado na casa da Orquestra Metropolitana de Lisboa. Concertos, aulas e ensaios... tudo cancelado, a partir da próxima segunda feira.
A decisão da Associação Música, Educação e Cultura abrange 350 alunos e 93 professores de três escolas... a Academia Nacional Superior de Orquestra, o Conservatório de Música da Metropolitana e a Escola Profissional Metropolitana

Espaços e promotores que têm a decisão final sobre o que fazer, em cada espetáculo. a direção geral de saúde recomendou o adiamento ou, até, cancelamento de eventos com mais de mil pessoas em espaços fechados. não é uma imposição, ao contrário do que se passa em países como França ou Alemanha. A recomendação foi seguida por muitos, mas começam já a surgir dúvidas no setor cultural sobre os efeitos - a curto prazo - desta decisão, como refere João Garcia Miguel do Cine Teatro Torres Vedras, "Algumas situações poderão ser agendadas ou adiadas, a própria companhia teve 3 atuações canceladas, o que para nós também é uma perda de receita mas ao mesmo tempo não podemos olhar para o lado a saúde dos espectadores e dos atores".

A SIC sabe que o tema já foi discutido no Ministério da Cultura, mas não houve, até agora, nenhuma indicação da tutela junto dos profissionais do setor. O sindicato dos músicos dos profissionais do espectáculo e do audiovisual tem agendada uma reunião para discutir o impacto do surto no setor. na Dinamarca, por exemplo, o governo comprometeu-se a suportar alguns dos custos de cancelamento de espetáculos.