Cultura

"A Metamorfose dos Pássaros" vence Grande Prémio do Festival do Documentário do Chile

"A Metamorfose dos Pássaros" é a primeira longa-metragem de Catarina Vasconcelos.

A primeira longa-metragem de Catarina Vasconcelos, "A Metamorfose dos Pássaros", recebeu esta terça-feira o prémio de melhor filme, no Festival do Internacional de Documentário do Chile (FIDOCS), e o Prémio do Júri Jovem, anunciou hoje o certame.

O júri da competição principal da edição deste ano, composto pelos cineastas e produtores Gema Juarez Allen (Argentina), José Luis Torres Leiva (Chile), Diego Pino Anguita (Chili) e Rachel Daisy Ellis (Brasil), decidiu, por unanimidade, atribuir o galardão máximo do festival à cineasta portuguesa, "pela sua capacidade de transformar a história do património familiar num olhar poético e pessoal".

Catarina Vasconcelos transforma "cada imagem da sua memória numa viagem de realidade e fantasia cheia de sensibilidade. O espectador é convocado, através de uma linguagem cinematográfica extraordinária, a uma evocação de memórias e sentimentos de sua própria genealogia", escreve o júri, na sua justificação.

A realizadora, que antes dirigira a curta-metragem "Metáfora ou a Tristeza Virada do Avesso", foi também distinguida com o Prémio do Júri Jovem do festival, destinado a cineastas em início de carreira.

O filme

"A Metamorfose dos Pássaros", uma produção da Primeira Idade que deverá ter estreia em Portugal em 2021, tem estado em circulação internacional por mais de 40 festivais e mostras de cinema, onde tem colhido vários prémios.

A narrativa do filme cruza documentário e ficção, parte da história da família da realizadora, em particular da avó paterna, que nunca chegou a conhecer.

Em fevereiro, quando da estreia mundial desta obra, no Festival de Cinema de Berlim, o filme conquistou o Prémio da Crítica Internacional.

Desde então, tem somado distinções como o Prémio de Melhor Filme no Festival de Vílnius (Lituânia), o Prémio Especial do Júri no Festival de Taipei (Taiwan), o Prémio do Melhor Filme no Festival Dokufest (Kosovo) e o prémio Zabaltegi -- Tabakalera, no Festival de Cinema de San Sebastián (Espanha).

No início de setembro conquistou o prémio do público no IndieLisboa, a que se seguiram, em outubro, os prémios do público e de contribuição artística no Festival de Cinema de Curitiba (Brasil), além da estreia na Áustria, no âmbito do Viennale - Festival de Cinema de Viena.

Em novembro, o filme também foi duplamente premiado, vencendo o Grande Prémio e o Prémio do Público, da 20.ª edição do festival New Horizons.

De acordo com a Portugal Filme - Agência Internacional de Cinema Português, que tem a distribuição de "A Metamorfose dos Pássaros", o filme tem estreia comercial assegurada na China, em Espanha, Lituânia, Itália e Polónia e, brevemente também, nos Estados Unidos, Taiwan, Reino Unido, Rússia, Austrália, Nova Zelândia e nos países de língua alemã.

Em Portugal, estreia-se no primeiro semestre de 2021, segundo o comunicado da Portugal Film.

Um misto de documentário e ficção, o filme de Catarina Vasconcelos conta com fotografia de Paulo Menezes, som de Adriana Bolito e Rafael Cardoso, e montagem de Francisco Moreira.

"A Metamorfose dos Pássaros" é uma produção da Primeira Idade, de Pedro Fernandes Duarte e Joana Gusmão.

Do elenco de atores fazem parte amigos e família de Catarina Vasconcelos, assim como a própria realizadora.

O Festival

Esta 24.ª edição do Festival FIDOCS decorreu 'online', desde o dia 25 de novembro, e encerrou hoje.

O FIDOCS, fundado pelo cineasta chileno, o documentarista Patrício Guzmán, realizador de "O Botão de Nacar" e "Nostalgia de Luz", é considerado um dos mais importantes encontros de cinema documental da América Latina.

  • A árdua experiência com a sustentabilidade 

    Mundo

    E se alguém lhe dissesse que passaria a viver num quarto, com eletricidade apenas para pequenos utensílios domésticos, sem aquecimento central, ar condicionado ou água quente. Teria apenas três conjuntos de roupa, sem máquina de lavar ou secar, faria dieta local sem produtos de origem animal e não andaria de automóvel nem de avião?

    Opinião

    João Abegão