Cultura

Artista chinês denuncia recusa em divulgar documentário que retrata primeiros dias da pandemia em Wuhan

Ai Weiwei, que vive em Portugal, diz que recusa deve-se à pressão económica do regime chinês.

O artista chinês Ai Weiwei denunciou a falta de disponibilidade de festivais de cinema e plataformas de streaming para divulgar o documentário "Coronation", realizado a partir de imagens recolhidas na cidade de Wuhan, nos primeiros dias da pandemia de covid-19 na cidade chinesa.

O ativista, que vive em Portugal, diz que a recusa deve-se à pressão económica do regime chinês. A vida e a morte, captadas no documentário, não foram, até agora, objeto de divulgação nos festivais de cinema internacionais ou em plataformas de streaming como a Netflix, que ultrapassou recentemente os 200 milhões de subscritores.

O artista entende que a decisão está relacionada com o receio do eventual prejuízo económico, causado pela reação do regime chinês, que chegou a prender Ai Weiwei durante 81 dias, em 2011.