Cultura

Família de Vinicius de Moraes indemnizada por perseguição durante ditadura no Brasil

viniciusdemoraes.com.br

Governo militar espiou a vida privada dos diplomatas e elaborou relatórios, como o usado em 1969 para tirar o autor de "Garota de Ipanema" do Ministério das Relações Exteriores.

A família de Vinicius de Moraes (1913-1980) obteve uma indemnização milionária por danos morais e materiais sofridos pelo músico, poeta e diplomata durante a ditadura (1964-1985) no Brasil.

A decisão, confirmada à Efe pelos advogados da família nesta terça-feira colocou fim a uma batalha judicial que durou 28 anos.

Os herdeiros de Moraes tiveram garantida uma indemnização de 3,4 milhões de reais (cerca de 527,3 mil euros à taxa atual) pela reforma compulsiva imposta pelo regime militar a ele que atuava como diplomata.

Segundo o advogado Paulo Cezar Pinheiro Carneiro, do escritório PCPC Advogados Associados, responsável por representar a família de Moraes na ação, foi o Estado brasileiro que propôs o acordo que garantiu a reparação moral e material a esse artista que viveu entre a diplomacia e a boémia e mudou a história da música brasileira.

Danos morais e materiais

Nos tempos mais sombrios da ditadura, o Governo militar espiou a vida privada dos seus diplomatas e elaborou relatórios como o usado em 1969 para tirar o autor de "Garota de Ipanema" do Ministério das Relações Exteriores.

Um relatório da Comissão da Verdade, criada em 2011 para apurar as violações ocorridas durante a ditadura, revelou que a Comissão de Investigação Sumária, criada pelo regime militar em 1969, obrigou Vinicius de Moraes a retirar-se da carreira diplomática por motivo de "embriaguez", quando tinha 55 anos e ocupava o cargo de primeiro secretário.

Num relatório de 1966 do Serviço Nacional de Inteligência, ele foi descrito como "um pária, que é diplomata e sambista" e em outro do Centro de Informações do Exército (CIE) foi descrito como um "boémio" que "parece ter a profissão errada".

Vinicius de Moraes

Vinicius foi vice-cônsul do Brasil em Los Angeles, nos Estados Unidos da América, no final da década de 1940, posteriormente foi enviado a Paris como segundo-secretário da embaixada na década de 1950 e transferido para a embaixada do Brasil em Montevidéu.

Na década de 1960 foi mandado de volta à capital francesa como delegado brasileiro junto da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), mas desde o início da ditadura militar não exerceu cargos diplomáticos no exterior.

O compositor, considerado um dos melhores poetas da língua portuguesa e pai da "Bossa Nova", era conhecido pela vida boémia, pelas festas que dava em casa e nas quais inúmeros intelectuais e artistas se reuniam.

Marcus Vinicius da Cruz de Mello Moraes nasceu no Rio de Janeiro, em 1913 e faleceu em 9 de julho de 1980 devido a um edema pulmonar.