Desporto

Sérgio Conceição suspenso por 21 dias

Quality Sport Images

Treinador falha o clássico na Luz e regressa ao banco portista apenas na última jornada do campeonato.

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, foi esta quarta-feira castigado pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol com uma suspensão de 21 dias na sequência da expulsão no jogo com o Moreirense, na passada segunda-feira.

O técnico portista foi expulso pelo árbitro depois do final da partida da 29.ª jornada da I Liga, que terminou com um empate a um golo, por "lesão da honra e reputação" de Hugo Miguel, conforme se pode ler no comunicado do CD da FPF.

"Após o final do jogo, entrou no terreno de jogo para contestar a equipa de arbitragem e disse: 'És uma vergonha, roubaste-nos o campeonato'. Após a exibição do cartão vermelho, começou a bater palmas na direção do árbitro e continuou a dizer: 'És fraco e má pessoa, roubaste-nos dois campeonatos, escreve tudo, és uma vergonha do c..., és um ladrão, estás sempre a f...-nos", escreveu Hugo Miguel no relatório de jogo.

A contagem do castigo começou a partir do momento da expulsão. Assim, o técnico portista não estará no banco dos "dragões" nas receções ao Famalicão (30.ª jornada) e ao Farense (32.ª jornada), nem nas deslocações ao Estádio da Luz, para defrontar o Benfica (31.ª jornada) e a Vila do Conde, no duelo com o Rio Ave (33.ª jornada).

O regresso de Sérgio Conceição ao banco ocorre apenas na última jornada do campeonato, na partida com o Belenenses SAD, no Estádio do Dragão.

No jogo com o Moreirense, o treinador portista foi expulso pela quarta vez esta temporada.

Além dos 21 dias de suspensão, Sérgio Conceição foi igualmente punido com uma multa de 10.200 euros.

Já o responsável pela comunicação da equipa de futebol do FC Porto, Rui Cerqueira, foi suspenso por 30 dias e multado em 5.100 euros, pelas mesmas razões do treinador, ou seja, por "lesão da honra e reputação" do árbitro, ao qual disse: "Foram dois penáltis, és uma vergonha."

Do jogo em Moreira de Cónegos resultaram aberturas de processos disciplinares aos jogadores portistas Uribe e Corona, ao treinador-adjunto Vítor Bruno e ao treinador de guarda-redes Diamantino Figueiredo, bem como ao FC Porto, que foi ainda multado em 2.040 euros, por ter atrasado em dois minutos o início da primeira parte e em quatro minutos o da segunda.