Desporto

Incidentes no clássico no Dragão: Sérgio Conceição absolvido, Vítor Baía e Rui Cerqueira suspensos

PORTO, PORTUGAL – FEBRUARY 11: Scuffle among FC Porto and Sporting CP players during the Liga Portugal Bwin match between FC Porto and Sporting CP at Estadio do Dragao on February 11, 2022 in Porto, Portugal. (Photo by Zed Jameson/MB Media/Getty Images)
PORTO, PORTUGAL – FEBRUARY 11: Scuffle among FC Porto and Sporting CP players during the Liga Portugal Bwin match between FC Porto and Sporting CP at Estadio do Dragao on February 11, 2022 in Porto, Portugal. (Photo by Zed Jameson/MB Media/Getty Images)

Comissão de instrutores da Liga propôs castigos no caso com Frederico Varandas.

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, foi, esta terça-feira, ilibado pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) no caso dos incidentes no clássico com o Sporting, com os dirigentes Vítor Baía e Rui Cerqueira condenados.

Segundo a decisão, Sérgio Conceição foi absolvido de todas as acusações, enquanto Vítor Baía, vice-presidente dos “dragões”, foi suspenso por 25 dias, e Rui Cerqueira, diretor de imprensa, sancionado com 115 dias de afastamento.

Além das multas pessoais, também a SAD do FC Porto foi sancionada em coletivo, com uma coima de 16.320 euros.

O processo reporta a março, quando o Sporting apresentou uma participação disciplinar devido a factos ocorridos em 11 de fevereiro, num empate a duas bolas no Estádio do Dragão entre as duas equipas.

Apesar das suspensões, o Regulamento Disciplinar das Competições da Liga “permite que as sanções de suspensão por tempo sejam cumpridas ‘nas férias’”, por não emular o regulamento da FPF que previne essa possibilidade.

Assim, com a decisão tomada já depois do fim da época, as suspensões acabam por abranger o período de pausa desportiva, com a de Vítor Baía finda antes da retoma desportiva.

“Ao contrário da suspensão prevista no Regulamento da Federação, que impede os dirigentes de estarem presentes em recintos desportivos, a suspensão prevista no Regulamento da Liga apenas impede os dirigentes de estarem presentes na zona técnica”, pode ler-se na decisão conhecida esta terça-feira.

Da instauração do processo, pela Comissão de Instrutores da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, foi remetida acusação aos quatro arguidos (três pessoas e a SAD “azul e branca”) em 2 de maio.

Quanto ao antigo guarda-redes, a decisão fundamentada nota os vários insultos que este dirigiu ao presidente do Sporting, Frederico Varandas, tendo confessado “a conduta ofensiva da honra de outro agente desportivo”, o que atenuou a pena aplicada.

A SAD dos “dragões” foi punida por publicações nas redes sociais, sendo absolvida de outras acusações, com o CD a fundamentar a decisão mais pesada sobre Rui Cerqueira em vários pontos.

Foi dado como provado que o dirigente bateu numa mão do presidente “leonino”, fazendo cair o telemóvel que este segurava, com o CD a elencar vários elementos de prova, como o pedido, por parte de Varandas, de renovação do cartão de cidadão que “se encontrava guardado na capa do telemóvel”, entre outros.

Sérgio Conceição, por seu lado, foi absolvido, porque a prova produzida coloca-o próximo de Varandas, mas “não permite uma clara e inequívoca determinação do teor das palavras por si eventualmente proferidas”.

Últimas Notícias
Mais Vistos