Desporto

César Peixoto diz que Paços de Ferreira tem de ser favorito quando joga em casa

César Peixoto diz que Paços de Ferreira tem de ser favorito quando joga em casa
RUI MANUEL FARINHA
O treinador pacense admite, no entanto, que será "um jogo difícil".

O treinador César Peixoto disse este domingo esperar mais eficácia do Paços de Ferreira frente ao "difícil" Portimonense, destacando a importância de começar o campeonato em casa com uma vitória, na segunda jornada da I Liga de futebol.

"É importante começar o campeonato em casa a vencer e esperamos ser mais eficazes. Temos de criar um ambiente difícil para mantermos as dificuldades que os adversários costumam sentir a jogar aqui, até porque em casa temos de ser favoritos", disse César Peixoto, na conferência de antevisão ao jogo de segunda-feira.

O técnico pacense mantém a pressão da vitória para "um jogo difícil", lembrando as características do Portimonense, uma equipa que na época passada fez mais pontos como visitante.

"Vai ser um jogo difícil, o Portimonense no ano passado fez mais pontos fora do que em casa, são muito fortes nos duelos e bolas paradas, tanto defensiva como ofensivamente, muito competitivos e agressivos. Só temos de contrapor esse maior poderio físico com a nossa forma de jogar. São mais altos e robustos, mas isso não quer dizer nada", referiu.

César Peixoto olha para cada jogo como uma final e para a decisão de segunda-feira vai enfrentar problemas para formar o 'onze', face à ausência confirmada do médio Luiz Carlos e, provavelmente, do guarda-redes Jordi, ambos por lesão, a que acresce a saída do clube do extremo brasileiro Lucas Silva, suplente utilizado em Barcelos, na última jornada (derrota por 1-0).

"Ainda não é certo que [o Jordi] vai estar fora de jogo, mas temos o Zé [Oliveira] ou o James e confiamos neles. O Luiz [Carlos] está fora, tal como o Jorge Silva, o Vigário ou o Flávio, que já treina connosco. O Tiago Ilori ainda não está pronto e o Lucas Silva já foi", sintetizou o técnico pacense.

Esta lista de ausentes apenas é contrariada com a estreia do regressado Koffi, novamente cedido pelo Reims, de França, já que Kayky, extremo brasileiro cedido pelo Manchester City, não foi inscrito a tempo do jogo.

"O ideal para um treinador é começar época com a equipa formada, mas esse ideal dificilmente existe no futebol. É verdade que com outras opções podíamos ter mais soluções, e, quantas mais opções, melhor. Há possibilidade de entrar mais gente, temos os nossos alvos e sabemos o que a equipa precisa", adiantou César Peixoto.

Paços de Ferreira e Portimonense, ainda sem qualquer ponto no campeonato, defrontam-se no estádio Capital do Móvel, na segunda-feira, às 20:30, num jogo que terá arbitragem de Hugo Pinheiro, da associação de Braga.

Últimas Notícias
Mais Vistos