Desporto

Portugal está na final do Mundial de hóquei em patins

Portugal está na final do Mundial de hóquei em patins
LUSA/ Arquivo

Portugal e Argentina vão repetir o jogo que, há três anos, valeu o 16.º título à formação das 'quinas', num campeonato disputado em Barcelona.

A seleção portuguesa de hóquei em patins, campeã em título, qualificou-se na sexta-feira para a final do Mundial de 2022, ao bater a França por 4-0, na primeira meia-final, em San Juan, na Argentina.

Rafa, aos 21 minutos, Hélder Nunes, aos 47 e 50, e Henrique Magalhães, aos 50, marcaram os golos da formação das 'quinas', que está a um triunfo de igualar os 17 títulos da Espanha.

Depois de um cartão azul a Roberto Di Benedetto, Gonçalo Alves falhou um livre direto, mas Portugal ficou a jogar com mais um ('5x4') e Hélder Nunes sentenciou aos 47 minutos, para, no último minuto, com os franceses, sem guarda-redes, marcar mais dois.

Henrique Magalhães apontou o terceiro e Hélder Nunes 'bisou', para o quarto, confirmando o apuramento luso.

A anfitriã Argentina juntou-se ao campeão em título Portugal na final do Mundial de hóquei em patins de 2022, reeditando o jogo decisivo de 2019, ao bater a Itália por 4-1, na segunda meia-final.

Num 'estádio' Aldo Cantoni ao rubro, em San Juan, os argentinos já chegaram ao intervalo a vencer por 2-0, graças a um 'bis' do 'leão' Gonzalo Romero, aos 22 e 25 minutos, o primeiro em superioridade numérica (5x4) e o segundo de penálti.

Os 'albicelestes' deram uma 'machadada' no encontro logo a abrir a segunda parte, aos 27 minutos, com um golo do benfiquista Lucas Ordoñez, em jogada individual com 'nota artística'.

O ex-portista Giulio Cocco ainda marcou para os transalpinos, aos 48 minutos, mas, no último minuto, acabou expulso, 'oferecendo' um livre direto à Argentina, que o benfiquista e 'capitão' Carlos Nicolía aproveitou para fazer o 4-1 final.

Desta forma, Portugal e Argentina vão repetir o jogo que, há três anos, valeu o 16.º título à formação das 'quinas', num campeonato disputado em Barcelona.

Na final, em 14 de julho de 2019, Portugal teve no guarda-redes Ângelo Girão a sua grande figura, ao não sofrer qualquer golo durante o encontro, prolongamento incluído, e ser batido apenas uma vez no desempate por grandes penalidades.

O benfiquista Carlos Nicolía acertou o primeiro remate dos argentinos, no desempate, mas Girão não mais foi batido, fazendo quatro defesas, enquanto Gonçalo Alves e Hélder Nunes selaram a reviravolta (2-1).

No domingo, as duas formações voltam a encontrar-se, com Portugal em busca do 17.º 'caneco', para igualar a recordista Espanha, que caiu perante a França nos 'quartos', e a Argentina à procura do sexto, e primeiro desde 2015.

Os argentinos perderam a derradeira final com a seleção das 'quinas', mas também já ganharam uma, em 1995, no Recife, no Brasil, onde se impuseram por claros 5-1.

O 'tira teimas' está marcado para domingo, pelas 23:30 (em Lisboa), com a Argentina a beneficiar do fator casa, em San Juan, onde só ganhou em 1978, tendo perdido na última final por 5-4, com a Espanha, na edição de 2011.

Últimas Notícias
Mais Vistos