Economia

Desemprego mantém-se nos 14% e regista 2ª maior descida homóloga

A taxa de desemprego em Portugal ficou nos 14% em agosto, o mesmo valor registado em julho, enquanto em termos homólogos cedeu 2,1 pontos percentuais, a segunda maior queda da União Europeia, divulgou esta terça-feira o Eurostat.

O Governo está disposto a dar um apoio financeiro igual a metade do Indexante dos Apoios Sociais (IAS), o que corresponde a 219,61 euros, durante quatro meses, aos desempregados que aceitem empregos de curta duração a mais de 100 quilómetros da sua residência. (Arquivo)

O Governo está disposto a dar um apoio financeiro igual a metade do Indexante dos Apoios Sociais (IAS), o que corresponde a 219,61 euros, durante quatro meses, aos desempregados que aceitem empregos de curta duração a mais de 100 quilómetros da sua residência. (Arquivo)

LUSA

A taxa de desemprego de 14% em agosto compara com os 16,1% registados há um ano atrás e uma manutenção face aos também 14% de julho deste ano, quando tinha caído ligeiramente em relação aos 14,1% de junho. O desemprego jovem registou uma ligeira subida.

Já a taxa de desemprego da zona euro fixou-se em 11,5% em agosto. Também neste caso, o valor é o mesmo já registado em julho, mas abaixo dos 12% de há um ano atrás.

Na União Europeia (UE), a taxa de desemprego estava em 10,1% no mês passado, com o Eurostat a destacar que é o valor mais baixo desde fevereiro de 2012. A taxa nos 28 países desceu face aos 10,2% de julho e 10,8% de agosto de 2013.

Entre os 28 países, em 22 países o desemprego caiu em termos homólogos. As maiores quedas deram-se na Hungria (de 10,2% para 7,8%), seguida de Portugal (de 16,1% para 14%), Espanha (de 26,1% para 24,4%) e Croácia (de 18,2% para 16,5%). 

A Áustria e a Alemanha são os países com taxas de desemprego mais baixas, com 4,7% e 4,9%, respetivamente.

Quanto ao desemprego jovem, Portugal conheceu entre julho e agosto deste ano um ligeiro aumento, ao passar de 35,5% para 35,6%, mantendo-se como uma das maiores taxas entre os países europeus. Em agosto do ano passado, o desemprego atingia 37,1% dos jovens portugueses até aos 25 anos.

Em termos globais, em agosto, a taxa de desemprego jovem era de 21,6% na UE e de 23,3% na zona euro, abaixo dos 23,5% e 23,9% do mesmo mês do ano passado, respetivamente.

Espanha é o país com a maior taxa de desemprego jovem, com mais de metade dos jovens da população ativa sem conseguirem encontrar trabalho (53,7%), seguida da Grécia (51,5%, valores referentes a junho), Itália (44,2%) e Croácia (43,9%, valores do segundo trimestre).

Nos dados hoje conhecidos, o Eurostat estima que 24,6 milhões de cidadãos europeus estavam desempregados em agosto, dos quais 18,3 milhões de euros pertencem a países da zona euro. 

Quanto aos jovens desempregados, estes eram quase cinco milhões na UE, sendo que destes 3,3 milhões pertenciam a países que partilham o euro.

 

 

 

Lusa

  • Sporting estreia-se com derrota na Liga Europa

    Liga Europa 2019/2020

    "Leões" perderam por 3-2 com o PSV, na Holanda.