Economia

Hóspedes e dormidas na hotelaria em Portugal sobem mais de 20% em abril

Hotelaria

A hotelaria alojou, em abril deste ano, 1,9 milhões de hóspedes que proporcionaram 5,1 milhões de dormidas, correspondentes a um aumento de 20,2% e de 23,2% em termos homólogos, respetivamente, divulgou hoje o INE.

O Instituto Nacional de Estatística (INE) refere que a Páscoa impulsionou a atividade na hotelaria e que os dados de abril contrastam com os de março, verificando-se uma subida de 0,2% nos hóspedes, mas uma queda de 1% nas dormidas, respetivamente.

Já entre janeiro e abril os hóspedes aumentaram 10,9% e as dormidas 11,2%.

Os proveitos "aceleraram notavelmente" e atingiram "crescimentos expressivos", sendo que os totais aumentaram 29,1% (9,2% no mês anterior), para 267,1 milhões de euros, e os de aposento atingiram 192,6 milhões de euros, mais 32,3% (8,3% em março), resultados que o INE diz terem sido influenciados "pelo efeito de calendário associado ao período da Páscoa, que em 2017 ocorreu em abril, enquanto que no ano anterior tinha sido em março".

As dormidas de residentes aumentaram 26,3% (-11,4% em março), para 1,3 milhões de dormidas, e as de não residentes aumentaram 22,1% (3,3% em março), atingindo 3,7 milhões de dormidas.

Nos quatro primeiros meses de 2017, as dormidas de residentes aumentaram 5,9% e as de não residentes 13,3%.

A estada média (2,70 noites) cresceu 2,5% e a taxa de ocupação-cama (53,8%) aumentou 8,9 pontos percentuais.

O mercado espanhol mostrou-se "sensível à Páscoa, como habitualmente", diz o INE, acrescentando que os treze principais mercados emissores representaram 84,9% do total das dormidas de não residentes e apresentaram resultados maioritariamente positivos.

As dormidas de hóspedes residentes no Reino Unido (21,3% do total de dormidas de não residentes) apresentaram um aumento de 12,7% em abril, superior ao verificado nos primeiros quatro meses do ano, que se situou em 8,1%.

O mercado alemão (14,6% do total) cresceu 20,5% em abril, apresentando um crescimento de 10,7% no primeiro quadrimestre do ano.

O mercado espanhol (11,8% do total), tradicionalmente sensível ao "efeito Páscoa", apresentou um expressivo crescimento de 102,5%, sendo que entre janeiro e abril subiu 7,7%.

As dormidas de residentes em França (10,5% do total) desaceleraram para um aumento de 2%, depois de subidas significativas nos três primeiros meses do ano, porém cresceram 10,5% nos primeiros quatro meses do ano.

Entre os principais países, destacam-se ainda os aumentos dos mercados brasileiro (61%), polaco (49,8%), irlandês (30,3%), belga (22,6%) e americano (22,0%), que se destacaram, igualmente, na evolução entre janeiro e abril, especialmente o Brasil (60,5%) e a Polónia (39,4%).

As dormidas aumentaram de forma generalizada também nas várias regiões do país, destacando-se as subidas nas regiões Centro (37,3%), Açores (30,6%) e Algarve (28,8%).

Em abril, em termos de aumentos nas dormidas de residentes, destacou-se o Algarve (64,9%) e os Açores (34,9%).

Quanto aos mercados externos, destacam-se as regiões Centro (51,4%) e Norte (31,2%), com o Centro a ser beneficiado, "por antecipação, da visita do Papa no mês seguinte".

Lusa