Economia

Estúdio Weinstein vai declarar falência

Richard Shotwell

A Weinstein Company vai declarar falência, avançam os media norte-americanos. A empresa não conseguiu comprador na sequência do escândalo que envolve o produtor Harvey Weinstein, antigo presidente e anteriormente um dos homens mais influentes em Hollywood.

"Reconhecemos que é uma solução extremamente prejudicial para os nossos empregados, credores e eventuais vítimas, o conselho de administração não tem outra solução viável para maximizar o valor remanescente da empresa: a abertura de um processo de falência", indica o conselho de administração num comunicado citado domingo pelo Los Angeles Times.

O New York Times publicou o mesmo comunicado. Os dois diários indicam que as negociações para a compra do estúdio Weinstein por um grupo de investidores liderado por uma antiga responsável na administração Obama, Maria Contreras-Sweet, falharam.

Este grupo estava pronto a finalizar o negócio por 500 milhões de dólares pouco antes de o procurador do estado de Nova Iorque Eric Schneiderman ter processado a Weinstein Company, a 11 de fevereiro.

Nesta ação judicial, o procurador de Nova Iorque acusa Weinstein de violações dos direitos humanos, dos direitos individuais e do direito ao trabalho. Eric Schneiderman considera que era dever da empresa proteger os seus funcionários das investidas do produtor.

Harvey Weinstein é acusado por mais de 80 mulheres de assédio ou violação.