Economia

"Convidámos o sindicato (de tripulantes da Ryanair) para uma reunião e recusaram"

O presidente da Ryanair garante que não cometeu qualquer crime ao contratar pessoal para substituir tripulantes em greve. Michael O'Leary admite processar o sindicato dos tripulantes de cabine se continuarem com as alegações de violação da lei.