Economia

Segunda ronda negocial entre motoristas de matérias perigosas e patrões

Segunda ronda negocial entre motoristas de matérias perigosas e patrões

Se o salário base de 1200 euros não for aceite hoje, os motoristas ameaçam partir para uma nova greve.