Economia

"CGD nunca teve intervenção nas guerras do BCP"

"CGD nunca teve intervenção nas guerras do BCP"

Armando Vara foi ouvido esta sexta-feira no Parlamento, na comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos.

Armando Vara disse que, se na altura soubesse o que sabe hoje, não teria ido para o BCP. O ex-administrador garantiu esta sexta-feira, no Parlamento, que a Caixa Geral de Depósitos nunca esteve envolvida nas guerras do BCP.

Vara disse ainda que, quando saiu da CGD para o BCP, em 2008, o banco público tinha "menos de 5%" de ações do banco privado.

Mais tarde, questionado pelo deputado do PSD Virgílio Macedo sobre o facto da Caixa ter concedido crédito às sociedades ligadas ao empresário José Berardo para aquisição de ações do BCP, aumentando a sua exposição indireta ao banco privado, Armando Vara disse que as operações foram votadas por um "órgão colegial".

"Essas operações, quase todas, foram votadas por todo o conselho de crédito. Eu não enjeito responsabilidades nessas decisões, mas todos fazíamos parte de um órgão colegial, onde as decisões se tomavam sempre por consenso", disse Vara, acrescentando que "bastava que um elemento do conselho de administração desse sinal de algum desconforto para que a operação parasse, ficasse para a reunião seguinte ou até que a pessoa ficasse mais descansada em relação à operação".

Armando Vara disse ainda que foi ele "que teve a iniciativa da decisão de ir saindo do BCP", e que o banco público tinha capacidade financeira para emprestar 500 milhões de euros.

  • Aldeia de Roberto Leal recebe notícia da morte com consternação
    2:02