Economia

Jerónimo volta a defender salário mínimo de 850 euros

Jerónimo volta a defender salário mínimo de 850 euros

Secretário-geral do PCP garante que só assim será possível fixar os jovens.

Jerónimo de Sousa voltou esta sexta-feira a defender um aumento geral dos salários e a fixação do salário mínimo nos 850 euros. Só assim, garante o secretário-geral do PCP, vai ser possível fixar os jovens e evitar que o país seja prejudicado.