Economia

Crescimento do desemprego desacelera em Espanha

Reuters

© Andrea Comas / Reuters

Desaceleração em maio em relação ao forte aumento de março e abril.

O número de desempregados inscritos nos serviços públicos de emprego em Espanha aumentou em 26.573 pessoas em maio (mais 0,7%), o que significa uma desaceleração em relação ao forte aumento de março e abril.

De acordo com os dados revelados hoje pelo Ministério do Trabalho espanhol, o desemprego subiu para um total de 3.857.776 pessoas, um número que não era atingido desde maio de 2016, com um aumento anual de 778.285 pessoas (mais 25%).

O aumento do número de pessoas sem emprego durante os meses mais difíceis da crise provocada pela pandemia de covid-19 foi de 302.265 em março e de 282.891 em abril.

O aumento mensal do desemprego teve lugar principalmente no setor de serviços, com mais 40.784 pessoas, na agricultura (mais 710) e no grupo sem emprego anterior (mais 9.058), enquanto diminuiu na construção civil (menos 23.717) e na indústria (menos 262).

Por outro lado, o número de pessoas inscritas na Segurança Social no último dia de maio foi de 18.584.176, o que significa que o sistema registou um aumento de 187.814 membros durante esse mês (mais 1%), número que contrasta com a queda de 49.074 em abril e 833.979 em março, devido ao impacto do novo coronavírus.

Por sua vez, o número médio de inscritos, número que costuma ser utilizado para medir a evolução do mercado, foi de 18.556.129 em maio, o que representa um aumento de 97.462 em relação à média de abril (mais 0,53%).

O impacto económico da pandemia em Espanha