Economia

"Investidor digital" pagou obra de arte de 58 milhões de euros com cripto-moeda

A "colagem digital" do artista Beeple foi vendida na quinta-feira em leilão através da internet por 69,4 milhões de dólares (58,4 milhões de euros), valor recorde para obras não físicas. 

CHRISTIE'S IMAGES LTD. 2021/BEEP

Segundo a leiloeira Christie's, 22 milhões de pessoas assistiram ao final da licitação, em que participaram compradores de 11 países.

O comprador de uma obra do artista Beeple vendida em leilão por 69,4 milhões de dólares (58,4 milhões de euros), valor recorde para obras não físicas, foi esta sexta-feira identificado como "Metakovan", um investidor digital.

Segundo comunicado da leiloeira Christie´s, que organizou o leilão, o comprador é fundador e financiador da Metapurse, o "maior fundo do mundo de NFT (ativos únicos digitais)" e pela primeira vez numa venda do género foi aceite cripto-moeda, neste caso "Ethereum (Ether)".

Os 69,35 milhões de dólares pagos por "Metakovan" - aproximadamente 38.474,82 ether - fazem de Beeple um dos três artistas vivos mais valiosos, juntamente com Jeff Koons e David Hockney, segundo a leiloeira.

Para Metakovan a colagem de Beeple é "a joia da coroa, a obra de arte mais valiosa desta geração" e "vale 1.000 milhões de dólares".

Segundo a leiloeira Christie's, 22 milhões de pessoas assistiram ao final da licitação, em que participaram compradores de 11 países, culminando na milionária venda de "Todos os dias: os primeiros 5.000 dias", uma colagem de fotografias tiradas pelo artista desde maio de 2007 ao longo de 5.000 dias.

Este foi o primeiro grande leilão de uma obra digital certificada com um "token" não-fungível (NFT, na sigla inglesa), que recorre à tecnologia Blockchain na autenticação e coleccionismo de arte.

Para Metakovan, em termos de NFTs de alto valor, o da obra de Beeple "será muito difícil de superar".

"Eis porquê - representa 13 anos de trabalho diário. As técnicas são replicáveis e a habilidade é superável, mas a única coisa que não se pode piratear digitalmente é o tempo", refere o fundador da Metapurse no comunicado.

Para Guillaume Cerutti, CEO da Christie's, este "encontro de duas comunidades distintas de colecionadores - a tradicional e a digital - acontece exatamente no momento certo para artistas digitais, para tecnologia de blockchain e para criptomoeda".

"As possibilidades futuras neste campo são inspiradoras e esperamos mais inovações colaborativas em um futuro próximo", adiantou Cerutti.

Reagindo ao resultado do leilão na quinta-feira, Beeple - cujo verdadeiro nome é Mike Winkelmann - celebrou o uso dos NFT no mundo da arte.

"Acredito que estamos a testemunhar o início do próximo capítulo da história da arte, a arte digital", disse o artista.