Economia

OCDE melhora previsões para Portugal. PIB deve crescer 3,7% em 2021 e 4,9% em 2022

Alexander Spatari

Ainda assim abaixo das expetativas do Governo.

A OCDE melhorou as projeções para a economia portuguesa, estimando agora um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 3,7% este ano e de 4,9% no próximo, ainda assim abaixo das expetativas do Governo.

"Após uma queda acentuada em 2020, projeta-se que o PIB aumente 3,7% em 2021 e 4,9% em 2022", pode ler-se no relatório com as previsões económicas mundiais divulgado esta segunda-feira ('Economic Outlook') pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).

As previsões da OCDE melhoraram face às publicadas em dezembro, quando a organização estimava um crescimento do PIB português em 1,7% para 2021 e em 1,9% para 2022.

Projeções da OCDE inferiores às do Governo

Apesar da revisão em alta, as projeções da OCDE mantêm-se inferiores às do Governo, que estima um crescimento de 4% para 2021 e de 4,9% para 2022, tendo o ministro das Finanças, João Leão, já manifestado, em entrevista à Lusa, a expectativa de chegar aos 5%.

No relatório, a OCDE destaca o crescimento do consumo, com uma redução gradual da poupança, à medida que a situação sanitária melhora e as medidas de contenção são eliminadas.

"A forte atividade no setor transformador e a absorção de fundos da União Europeia apoiarão o investimento e as exportações", mas o turismo e os serviços vão recuperar "apenas gradualmente, até que a pandemia esteja totalmente sob controlo", lê-se no capítulo dedicado a Portugal.

A OCDE diz que a política orçamental deve manter-se favorável até que a recuperação esteja firmemente em andamento, "mas o apoio financeiro deve ser direcionado às empresas em dificuldades que ainda têm perspetivas viáveis".

"Acelerar a implementação do Plano de Recuperação e Resiliência [PRR], ao mesmo tempo que se promove uma regulamentação favorável à concorrência, ganhos de eficiência nos serviços públicos e investimento verde, será fundamental para uma recuperação forte e sustentável", sublinha a organização.

No relatório, a OCDE destaca ainda que o aumento do desemprego, sobretudo entre os jovens e os trabalhadores pouco qualificados, o que exige "o reforço da capacidade dos serviços públicos de emprego para darem apoio na procura de emprego e formação".

A OCDE prevê que a taxa de desemprego em Portugal seja de 7,4% este ano (contra 6,8% em 2020) e desça para 7% em 2022.

Quanto a previsões para a economia portuguesa de outras organizações, o Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê um crescimento do PIB português em 3,9% em 2021 e em 4,8% em 2022, enquanto a Comissão Europeia estima 3,9% e 5,1%, respetivamente.

  • 4:21