Economia

Ricardo Salgado, o único culpado disto tudo? Lesados do BES querem Carlos Costa e Passos Coelho como arguidos

Lesados do BES consideram impossível que Ricardo Salgado tivesse sido o único culpado de tudo e pensam que a sua acusação é uma forma de tirar as atenções de outros que também estiveram envolvidos, como o Banco de Portugal ou o Governo da altura

Os lesados do BES querem que o antigo governador do Banco de Portugal (BdP) e governantes à data da resolução do BES, em 2014 como Pedro Passos Coelho, sejam arguidos do processo para também se apurarem as suas responsabilidades, avança o "Eco". Para eles, Ricardo Salgado não deve ser o único incriminado.

“A estratégia da acusação parece ser a de incriminar o Ricardo Salgado e uma dúzia de colaboradores e de ilibar as responsabilidades dos agentes políticos da resolução, dos membros da administração do BdP, dos membros dos órgão sociais das empresas onde foram cometidas irregularidades e, muito em especial, dos contabilistas responsáveis pelas escritas que se dizem falsificadas e dos auditores que garantiram que tais escritas foram falsificadas, bem como dos membros de conselhos fiscais”, indica o requerimento citado pelo jornal online.

Assim, os lesados pedem que todos estes sejam constituídos arguidos e não só Salgado, nem tão pouco apenas Carlos Costa e Pedro Passos Coelho. Além destes, os lesados querem também que a acusação se alargue a auditores, outros quadros do Banco de Portugal e do BES. Isto porque "Ricardo Salgado não tinha sequer, sozinho, poderes para fazer o que lhe é imputado", argumentou o advogado do grupo de lesados.

Além do mais, o grupo de lesados quer que se investigue a fundo a envolvência de Angola no processo, bem como a apreensão de toda a “escrita mercantil” e dos computadores do BES e de todos os bens das pessoas que querem ver como arguidas.

"Consideramos que o julgamento pode ser um fracasso se não se melhorar a investigação e se não se imputarem responsabilidade a todos os que agiram e participaram, com dolo ou mera culpa, no quadro da ação penal que antecedeu a resolução do BES."