Economia

Trabalhadores de rodoviárias privadas em greve por aumentos salariais

É o segundo protesto em menos de duas semanas.

Os trabalhadores das rodoviárias privadas estão novamente em greve. É o segundo protesto em menos de duas semanas a exigir aumentos de salários e do subsídio de refeição.

Autocarros parados em dezenas de transportadoras privadas de todo o país.

Os motoristas estão em protesto por aumentos salariais. Recebem perto de 700 euros de ordenado base e querem uma subida imediata para os 750 euros.

A greve de 24 horas arrancou às 3h00 desta madrugada. Abrange as empresas nas quais se aplicam os contratos coletivos de trabalho subscritos pela Fectrans, Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários Urbanos de Portugal (STRUP), Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes (Sitra) e pelo Sindicato Nacional dos Motoristas (SNM).