Economia

ACT está a preparar "operação de controlo" da precariedade laboral

Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social
Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social
TIAGO PETINGA
A ministra Ana Mendes Godinho anunciou que será “uma fiscalização inteligente e com recurso às novas tecnologias”.

A Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) está a preparar uma "operação de controlo" de situações da precariedade laboral, anunciou esta quarta-feira a ministra do Trabalho, Solidariedade e da Segurança Social, adiantando que será uma "fiscalização inteligente", com cruzamento de dados com a Segurança Social e recurso às novas tecnologias.

"Estamos a preparar uma operação de controlo de cruzamento de dados com a Segurança Social, feita pela ACT, para deteção de situações de precariedade que se conseguem facilmente identificar, nomeadamente através do decurso do prazo de contratos", avançou no parlamento a ministra do Trabalho, Segurança Social e Solidariedade, Ana Mendes Godinho.

Falando numa audição regimental na Comissão de Trabalho, Segurança Social e Inclusão, a governante referiu que será "uma fiscalização inteligente e com recurso às novas tecnologias, para deteção de fenómenos inaceitáveis, como o caso de muitas pessoas que vivem a vida inteira em contratos precários, temporários".

A este propósito, a ministra apelou aos deputados "para a importância da aprovação no parlamento da Agenda do Trabalho Digno", considerando que será "um sinal forte dado aos trabalhadores, nomeadamente aos trabalhadores jovens, quanto ao combate à precariedade".

"Há uma grande incidência de precariedade nos jovens, muito acima da incidência do trabalho precário em geral", afirmou, precisando que os níveis de precariedade são "de 20% em termos genéricos", mas de "mais de 60% nos jovens".

"Isto é inadmissível e temos de o combater e essa é a grande motivação da Agenda do Trabalho Digno", sustentou.

Últimas Notícias
Mais Vistos