Assalto em Tancos

Consenso alargado para nova comissão de inquérito sobre Tancos na próxima legislatura

Rafael Marchante

"Se uma nova Comissão Parlamentar de Inquérito vier a ser requerida viabilizá-la-emos".

PS, BE e Verdes manifestaram-se esta quarta-feira disponíveis para uma nova comissão de inquérito sobre o caso de Tancos na próxima legislatura, com PSD e CDS-PP a lamentarem que o debate parlamentar não tenha acontecido antes das eleições.

"Se uma nova Comissão Parlamentar de Inquérito vier a ser requerida viabilizá-la-emos", afirmou o vice-presidente da bancada socialista Filipe Neto Brandão, assegurando que o PS "quer que todos os factos relativos a Tancos possam ser apurados e todas as responsabilidades imputadas".

Na mesma linha, o líder parlamentar do BE, Pedro Filipe Soares, manifestou "toda a abertura para, na nova legislatura, fazer uma nova comissão parlamentar de inquérito".

Também José Luís Ferreira, do Partido Ecologista "Os Verdes", assegurou que a sua bancada não se irá opor a esta comissão -- que o CDS-PP já tinha anunciado que irá propor -, embora considerem que seria mais avisado "aguardar pela conclusão judicial".

No debate na Comissão Permanente -- órgão que funciona fora do período de funcionamento efetivo da Assembleia da República -, PSD e CDS-PP reiteraram as suas dúvidas de que o primeiro-ministro, António Costa, não tivesse sido informado pelo antigo ministro da Defesa, Azeredo Lopes, da encenação do reaparecimento das armas furtadas em Tancos, merecendo do PS a acusação de "indignidade parlamentar".

Lusa

  • Reis de Espanha em visita polémica a Havana
    1:24

    Mundo

    Na justificação oficial, esta visita destina-se a estreitar os laços económicos e financeiros entre os dois países. Uma viagem polémica, tanto para espanhóis como para cubanos.