Assalto em Tancos

Tancos. Marques Vidal e Luís Neves dizem que PJ Militar cometeu ilegalidades na investigação

Antiga procuradora-geral da República e diretor nacional da PJ foram ouvidos em como testemunhas.

A antiga Procuradora-Geral da República Joana Marques Vidal e o diretor nacional da PJ dizem que a Polícia Judiciária Militar cometeu várias ilegalidades na investigação ao furto de Tancos.

Luís Neves e Joana Marques Vidal foram esta segunda-feira ouvidos como testemunhas no julgamento de Tancos.

A ex-líder do Ministério Público disse ainda que desvalorizou a denúncia anonima de que ia haver um roubo num paiol porque lhe pareceu uma denúnca muito superficial que não suscitou gravidade. Por isso, não responsabiliza o Ministério Público por não ter conseguido evitar o furto. Ao contrário, considera que as instituições militares têm responsabilidades.

Já Luís Neves afirmou aos juízes que as ilegalidades cometidas pela Judiciária Militar prejudicaram em muito a investigação. Vai continuar a ser ouvido no próximo dia 20 de maio.