Eleições Autárquicas

Autárquicas. "É a primeira eleição a sério que Fernando Medina enfrenta na sua carreira"

Opinião

A análise de Ricardo Costa no Jornal das 7 da SIC Notícias.

Fernando Medina apresentou, esta segunda-feira, a recandidatura à Câmara Municipal de Lisboa (CML). O autarca e candidato do PS focou o discurso na habitação, mobilidade, turismo e educação.

Eixos que Ricardo Costa, diretor de informação da SIC, considera "normais fosse este discurso feito agora, há um ano ou daqui a um ano".

"A grande diferença é que esta eleição é uma eleição muito mais difícil para Fernando Medina do que foi há quatro anos", acrescenta.

Para Ricardo Costa, em 2017, quando Medina se candidatou à CML, "teve um brinde", que foi não existir a coligação PSD-CDS, e depois a grande dificuldade do PSD em escolher um candidato.

O diretor de informação da SIC diz que agora, provavelmente, os "eleitores portugueses estão muito mais predispostos a uma fragmentação partidária e eleitoral", o que cria "problemas a todos os partidos, sobretudo aos grandes". Para além deste fator, o PSD para Lisboa apresenta Carlos Moedas, que é "um candidato forte".

"É a primeira eleição a sério que Fernando Medina enfrenta na sua carreira."

Ter uma boa votação é algo muito importante para Fernando Medida, entende Ricardo Costa, "para ganhar a Câmara de Lisboa". E ter Carlos Moedas pela frente até pode ser bom, "até para os dois".

"É bom para Medida, se ganhar, porque ganha contra Moedas, e a partir daí tem um valor político grande. Como é bom para Moedas. Se ganhar, nem há discussão, passa a ser um político de primeiríssima linha."