Eleições Autárquicas

"Fui constantemente maltratado": candidato do PPM ao Porto demite-se

"Fui constantemente maltratado": candidato do PPM ao Porto demite-se
Facebook Diogo Araújo Dantas

Diogo Araújo Dantas demitiu-se do partido devido à "falta de apoio" e por ter sido "atacado de forma vil, mesquinha e pessoal".

O candidato do Partido Popular Monárquico (PPM) à Câmara do Porto demitiu-se do partido devido à "falta de apoio" e por ter sido "atacado de forma vil, mesquinha e pessoal", revelou esta quinta-feira à agência Lusa.

"Venho comunicar a minha desvinculação do PPM, assim como de todos os cargos exercidos por diferenças insanáveis com a secretária-geral e a direção, relativo ao rumo e ambição do partido", salienta o comunicado enviado por Diogo Araújo Dantas.

Em resposta à agência Lusa, o candidato do PPM à Câmara do Porto afirmou que a decisão se prendeu com a "falta de apoio" dentro do partido, mas também por ter sido "atacado de forma vil, mesquinha e pessoal por parte de adversários".

"Saio porque dentro de portas nunca tive qualquer apoio e, pior ainda, fui constantemente maltratado, para lá de toda a urbanidade e educação", assegurou.

Com a demissão, Diogo Araújo Dantas diz que o PPM fica "entregue à falta de ambição, rumo, garra, coerência e futuro".

"Tenho a consciência que o meu plano para tornar o PPM relevante a médio prazo seria alcançável e todos os portugueses ganhariam com isso", afirmou.

Acusando o partido de "falta de apoio durante e depois da campanha eleitoral", Diogo Araújo Dantas sublinha ainda que os únicos "elogios" que recebeu foi por parte dos partidos adversários na corrida à Câmara do Porto.

"Saio definitivamente da vida política para que os meus valores continuem intocáveis", acrescentou.

Diogo Araújo Dantas, de 46 anos e economista, encabeçou a corrida à Câmara Municipal do Porto nas eleições autárquicas de 26 de setembro pelo PPM.

Segundo os dados divulgados na noite eleitoral pelo Ministério da Administração Interna (MAI), o movimento independente "Rui Moreira: Aqui Há Porto" obteve 40,72% dos votos, elegendo seis vereadores. Por seu turno, a oposição elegeu sete mandatos -- três do PS, dois do PSD e a CDU e o Bloco um cada.

No Porto, foram candidatos nas autárquicas de setembro o independente Rui Moreira pelo movimento "Rui Moreira: Aqui há Porto" -- apoiado por IL, CDS, Nós Cidadãos, MAIS -, Tiago Barbosa Ribeiro (PS), Vladimiro Feliz (PSD), Ilda Figueiredo (CDU), Sérgio Aires (BE), Bebiana Cunha (PAN), António Fonseca (Chega), Diogo Araújo Dantas (PPM), André Eira (Volt Portugal), Bruno Rebelo (Ergue-te) e Diamantino Raposinho (Livre).

Últimas Notícias
Mais Vistos