Ciclone Idai

Número de mortos contabilizados por Moçambique sobe para 468

Mike Hutchings

Há ainda milhares de pessoas sem casa e assistência.

O número de vítimas mortais do ciclone Idai e das cheias que se seguiram no centro de Moçambique subiu para 468, anunciaram esta terça-feira as autoridades moçambicanas.

A informação foi prestada pelo Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC) e representa um acréscimo de 21 mortos em relação aos dados de segunda-feira.

Os centros de acolhimento continuem a receber pessoas afetadas pelo Idai e registam hoje um total de 127.000 entradas.

Milhares sem casa e assistência

O número de pessoas afetadas pelo ciclone subiu para 797.000, sendo que este total de pessoas afetadas não significa que estejam em risco de vida.

São pessoas que perderam as casas ou que estão em zonas isoladas e que precisam de assistência, explicaram as autoridades.

O número de meios de socorro também continua a aumentar e ascende agora a 22 helicópteros, 37 barcos, 11 aviões e duas fragatas.

ONU estima que ciclone Idai afetou 2 milhões de pessoas

António Guterres, secretário-Geral da ONU, promete ajuda, mas reconhece que a recuperação será difícil.

Com Lusa

  • Quem são os Hells Angels?
    2:52
  • O preconceito e os receios em torno das doenças mentais
    30:52
  • O caos nos registos
    18:55