Coronavírus

Bolsonaro diz que "não é oportuno" retirar brasileiros infetados de Wuhan

Adriano Machado

O presidente do Brasil afirmou que não vai colocar a população brasileira em risco de contágio "por uma família apenas".

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse hoje que "não é oportuno" retirar cidadãos brasileiros de Wuhan, epicentro do novo coronavírus, apontando riscos de contágio no Brasil.

Citado pela imprensa brasileira, Bolsonaro disse que não vai colocar em risco as pessoas no Brasil "por uma família apenas", numa alusão a um casal e respetivo filho que foram infetados com o vírus.

"Pelo que parece, há uma família na região onde o vírus está a atuar. Não seria oportuno retirá-los de lá, com todo o respeito", afirmou.

"Esperamos que os dados da China sejam reais", acrescentou.

A família brasileira está nas Filipinas, mas passou recentemente por Wuhan.

Trata-se de um casal e uma criança de 10 anos a quem foi diagnosticado o novo coronavírus, que já matou 132 pessoas na China e infetou quase seis mil pessoas.

Vários países já começaram o repatriamento de cidadãos de Wuhan.

O vírus foi inicialmente detetado no mês passado num mercado de mariscos nos subúrbios daquela cidade, a capital da província de Hubei, que é também um importante centro de transporte doméstico e internacional, mas alastrou-se, entretanto, a várias províncias chinesas.

A doença foi identificada como um novo tipo de coronavírus, semelhante à pneumonia atípica, ou Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), que entre 2002 e 2003 matou 650 pessoas na China continental e em Hong Kong.

Veja também: