Coronavírus

Empresa da Marinha Grande tem recebido pedido de máscaras de todo o mundo

Empresa da Marinha Grande tem recebido pedido de máscaras de todo o mundo

Paulo Fajardo

Repórter de Imagem

Empresa de dispositivos médicos prevê que stock de produtos, como luvas, seringas e agulhas, também venha a sofrer ruturas nos próximos meses.

Especial Coronavírus

O alastrar dos casos de coronavírus levou a uma procura crescente de produtos de proteção individual, principalmente de máscaras.

A SIC esteve numa empresa da Marinha Grande que produz e vende dispositivos médicos. Os pedidos de máscaras têm chegado de países de vários continentes, incluindo a China.

Na Normax, o negócio principal são os produtos em vidro para o meio hospitalar ou laboratorial. Mas além do que aqui é produzido vendem também diverso material relacionado com a higiene e proteção, como luvas ou máscaras. São apenas cerca de 50 mil unidades por ano, mas se tivessem milhões em armazém não ficava nenhuma.

A procura disparou assim como os preços. Mas o problema atual da falta de máscaras pode alargar-se nos próximos meses a outros produtos cuja quantidade disponível é limitada e pode demorar a ser reabastecida.

A fábricas paradas em vários pontos da ásia, zonas de quarentena, portos encerrados ou a funcionar apenas de forma parcial, soma-se a procura crescente devido ao alastrar do covid-19. O resultado pode ser a rutura de ainda mais produtos ou dispositivos médicos nos próximos meses.