Coronavírus

Companhia aérea britânica Flybe declara falência e anula todos os voos

PAUL MCERLANE / EPA

Primeira vítima do novo coronavírus na indústria aeronáutica.

Especial Coronavírus

A companhia aérea regional britânica Flybe anunciou hoje que cessou todas as atividades com efeito imediato e entrou em falência, na sequência do surto do novo coronavírus.

"Todos os voos estão suspensos e as atividades no Reino Unido cessaram com efeito imediato", anunciou a empresa, que há pouco mais de um mês tinha recebido apoio financeiro do Governo britânico.

"Se devia voar com a Flybe não vá para o aeroporto, a menos que tenha combinado um voo alternativo com outra companhia aérea. Infelizmente, a Flybe não pode organizar voos alternativos para os passageiros", de acordo com um comunicado.

Na mesma nota, a companhia aérea regional britânica pediu ainda aos funcionários da empresa e aos credores que entrem em contacto com a administração.

A Fly emprega mais de duas mil pessoas e transporta cerca de oito milhões de passageiros por ano, sobretudo dentro do Reino Unido, mas também para França, Alemanha, Irlanda, Holanda, Suíça, Itália e Luxemburgo.

No ano passado foi resgatada pela Connect Airways, que inclui a empresa Virgin Atlantic e os fundos Stobart e Cyrus, mas no início deste mês voltou a manifestar dificuldades de tesouraria.

Em janeiro, o Governo britânico aceitou adiar o pagamento de 106 milhões de libras (124 milhões de euros) que a Flybe devia em impostos, ao mesmo tempo que os acionistas se comprometeram a injetar mais fundos.