Coronavírus

Egito anuncia primeira morte em África devido ao coronavírus

STR

Trata-se de um cidadão alemão de 60 anos.

Especial Coronavírus

O Egito anunciou este domingo a primeira morte associada à epidemia do novo coronavírus em Houghada (sudeste), que é também a primeira no continente africano.

Trata-se de "um cidadão alemão de 60 anos internado no hospital público de Hourghada na sexta-feira" e que deu positivo para o novo coronavírus no sábado, disse o porta-voz do Ministério da Saúde, Khaled Megahed, num comunicado de imprensa.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou cerca de 3.600 mortos entre mais de 105 mil pessoas infetadas numa centena de países e territórios.

Das pessoas infetadas, cerca de 60 mil recuperaram.

Depois de a China ter colocado 60 milhões de pessoas em quarentena para tentar travar a epidemia, a Itália anunciou uma medida idêntica no Norte do país, que pode afetar cerca de 16 milhões de pessoas em cidades como Milão, Veneza ou Parma.

A Itália registou já 233 mortos em quase seis mil pessoas detetadas com o novo coronavírus, que pode causar infeções respiratórias como pneumonia.

Em Portugal, estão confirmados 30 casos de infeção e o Governo anunciou a suspensão temporária de visitas em hospitais, lares e estabelecimentos prisionais na região Norte.

Foram também encerrados temporariamente alguns estabelecimentos de ensino secundário e universitário.

A ministra da Saúde, Marta Temido, admitiu que o risco da epidemia em Portugal poderá ser reavaliado nas próximas horas, e levar à adoção de novas medidas excecionais.